Longe da pressão após arquivamento de denúncia por corrupção passiva, o presidente Michel Temer encontrou-se com o prefeito de São Paulo João Doria, na manhã desta segunda-feira (07) - na sede da prefeitura paulistana - para anúncio de acordo que transfere ao município 20% da área do aeroporto Campo de Marte, localizado na Zona Norte da capital paulista, pertencente à União.

Com a assinatura do pacto e parceira com a iniciativa privada, marca da gestão do peessedebista, a prefeitura de São Paulo pretende construir um museu aeroespacial e um parque no local.

Esse foi o primeiro evento que Michel Temer participou depois de sair incólume de processo que poderia ter seguido ao STF (Supremo Tribunal Federal) e resultado em seu afastamento da Presidência da República por, no mínimo, 180 dias. Na última quarta-feira (02) a Câmara dos Deputados decidiu, por 263 votos, pelo arquivamento da denúncia de corrupção passiva contra o peemedebista no caso das gravações do empresário Joesley Batista (JBS), que comprovaram o envolvimento do presidente na compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ) nas delações da operação Lava Jato.

No encontro, Temer não falou com jornalistas e nem tomou conhecimento de protestos que estavam sendo realizados no Viaduto do Chá, região do Vale do Anhangabaú, onde fica o Edifício Matarazzo, também conhecido como Palácio do Anhangabaú, sede da prefeitura.

Em seu pronunciamento, o presidente rasgou elogios ao tucano dizendo que o vê como "um parceiro, um companheiro" que entende os problemas do Brasil e que é incapaz de "dividir pessoas", certamente fazendo alusão ao racha do PSDB durante a votação no Congresso.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Michel Temer

Por sua vez, o peessedebista retribuiu a exaltação feita a si dizendo que Michel Temer possui alma e índole voltadas à conciliação e que, dessa forma, será possível construir-se um novo país.

Governador não apareceu

A expectativa do PMDB e do próprio Michel Temer era de que Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, estivesse presente no evento e, assim, uma imagem de consolidação da base aliada pudesse ser transmitida para "quebrar o gelo" que o racha entre peessedebistas criou entre os governistas.

Mas Alckmin, que já manifestou sua opinião revelando que não enxerga motivos para a permanência do PSDB na base do governo, não apareceu.

Pela manhã, no Palácio dos Bandeirantes - no bairro do Morumbi, Zona Sul da capital -, o governador participou da assinatura de convênios entre a Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo) e 38 prefeituras paulistas para instalação de polos da instituição.

Além desse compromisso, Geraldo Alckmin também participou de um congresso de agronegócio.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo