O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Messias Bolsonaro (PSC-RJ) são os dois primeiros, incontestavelmente, em qualquer pesquisa presidencial para 2018 feita até agora. Por isso, especula-se muito um segundo turno entre o petista e o militar. Acontece que Lula pode ficar inelegível, caso for condenado em segunda instância pelo caso do tríplex no Guarujá, no litoral de São Paulo, antes das eleições presidenciais de 2018.

Outro fator que pode mudar este possível segundo turno é a aparição de um novo candidato quando as candidaturas forem anunciadas por seus respectivos partidos.

Diversos pré-candidatos já existentes são muito cotados para mudar esse cenário das pesquisas presidenciais após os debates reproduzidos pelos canais da TV aberta.

Novo pré-candidato

O novo pré-candidato à Presidência da República de 2018 é o prefeito de São Paulo [VIDEO], João Doria, até porque vinha se criando uma grande especulação que o peessedebista seria o representante de seu partido nas eleições de 2018. Mas isso só vem se concretizando ainda mais ultimamente, pois o empresário afirma que está pronto para ser gestor em qualquer circunstância e também está viajando por todo o Brasil, mesmo dizendo que não tem a intenção de ser candidato. A maioria dos jornais já o coloca como candidato pelo fato que não tem sentido essas viagens se não for por uma possível candidatura.

João Doria é um forte candidato para desbancar Lula e Bolsonaro nas próximas eleições pelo fato de ter a simpatia de boa parte da direita e fazer uma forte oposição ao ex-presidente Lula.

Mesmo sem ataques a Bolsonaro, apresenta ideias muito diferentes do deputado, apesar de representar a direita, assim como o militar. Além disso, o empresário Doria ganhou as eleições para a Prefeitura de São Paulo de forma histórica, impedindo o prefeito Fernando Haddad de seguir em seu segundo mandato, se elegendo no primeiro turno com 53,29% dos votos válidos.

Antes das eleições do ano passado, o representante do PSDB não estava nem em segundo nas pesquisas presidenciais e espera refazer o feito na corrida presidencial, conquistando o público por meio dos debates televisivos.

Traição a Alckmin?

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), é o padrinho político de João Doria na política, sendo que Alckmin foi o responsável pelo empresário ter se candidatado à Prefeitura de São Paulo. Mas, agora, o governador deseja ser candidato à Presidência pelo PSDB.

Se Doria decidir entrar na disputa das prévias dentro do partido, estaria traindo seu padrinho político. Por isso, especula-se que Doria pode se candidatar pelo PMDB ou DEM, partidos que abriram a porta para o político [VIDEO].