Segundo o Presidente do (PTB) Roberto Jefferson, foi confirmado através de uma sindicância que a concessão da aposentadoria da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) [VIDEO] foi feita de forma irregular.

Segundo a sindicância, a ex-presidente não precisou passar pelos mesmos procedimentos como as outras pessoas que solicitam a aposentadoria. Quando o cidadão chega ao direito de obtenção da aposentadoria é necessário que vá até uma agência do INSS, e no momento do cadastramento para o recebimento do benefício é exigido que pessoa que está solicitando o serviço, apresente documentos comprovando que já tem esse direito dentro das leis e, caso seja comprovado, essa pessoa passará a receber o beneficio fornecido pelo governo de mês em mês.

Entretanto, segundo Roberto Jefferson, com a ex-presidente o pedido de aposentadoria foi diferente. Ela não compareceu ao local da agência para fazer o cadastramento e não apresentou todos documentos exigidos para a confirmação de seus direitos quanto ao beneficio, o que não atende aos procedimentos exigidos pela lei.

A aposentadoria da ex-presidente Dilma Rousseff também foi criticada pela apresentadora de telejornal Rachel Sheherazade. Segundo a jornalista, todos sabem que a aposentadoria de Dilma é uma fraude e foi concedida de forma irregular, isso foi confirmado pela sindicância interna do governo, e deu uma alfinetada, dizendo que a ex-presidente tinha furado a fila da Previdência.

Segundo as informações da “Revista Veja”, em setembro, no dia 1º do mês antes mesmo de completar as 24 horas desde o momento em que a ex-presidente tinha sofrido o impeachtment, Carlos Gabas, ex-ministro da Previdência, e uma das secretárias de Dilma foram a uma agência do INSS para formalizar a aposentadoria da ex-presidente.

Segundo a revista, os dois entraram pela porta dos fundos e já foram sendo atendidos pelos chefe da agência que, em menos de dez minutos depois de ter solicitado a aposentadoria, já constava no sistema e com o valor no teto máximo a ser pago de R$ 5.189,00. Isso tudo foi feito de forma sigilosa.

A sindicância do MDS disse que o ex-ministro usou de sua influência no INSS, por já ter atuado como Ministro da Previdência. Mas o ex-ministro alega estar sendo perseguido e que vai entrar com uma ação contra a “Revista Veja”. Carlos Gabas foi afastado de seu serviço por dez dias até a conclusão da sindicância.

Nota enviada pela assessoria de Dilma rebate críticas

Em resposta às acusações feitas pela “Veja” a respeito da aposentadoria de Dilma Rousseff, a assessoria da ex-presidente enviou uma nota de esclarecimentos dizendo que, em primeiro lugar, a Veja deveria voltar a fazer Jornalismo de Guerra, ao invés de ficar espalhando escândalos sobre a aposentadoria da Presidente eleita Dilma Rousseff e que o centro do escândalo é mais político.

A nota diz também que Dilma está de acordo com o que é previsto em lei. Ela se aposentou aos 68 anos de idade, com 36 anos, 10 meses e 21 dias de prestação de serviços, e possui documentos que comprovam o tempo trabalhado, com o vencimento de salário de R$ 5.000. A assessoria garantiu que Dilma não recebe como ex-presidente e nem de anistiada política.

A nota também diz que foi feito tudo dentro da lei e que a ex-presidente foi afastada do cargo através de um golpe fraudulento. Na nota tem alegações de que o governo atual é golpista e não quer reconhecer o tempo de serviço prestado por Dilma, por ter sido afastado de seus serviços durante a ditadura entre os anos de 1977 e só voltou a trabalhar em 1980.