A grave crise que permeia o cenário político nacional atingiu em "cheio" um dos mais polêmicos senadores da República; Renan Calheiros, do PMDB do estado de Alagoas. Nesta sexta-feira (25), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou uma denúncia dirigida ao senador alagoano em crimes relacionados às investigações da força-tarefa da Operação Lava Jato, que é considerada a maior operação de combate à corrupção na história contemporânea do país e é conduzida em primeira instância, pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Aprofundamento das investigações da Lava Jato

A denúncia apresentada pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot, contra o senador Renan Calheiros envolve ainda, outras figuras carimbadas da República, como por exemplo, o ex-presidente da República e ex-senador pelo PMDB do Amapá, José Sarney, além dos senadores do PMDB, Valdir Raupp (PMDB-RO), Romero Jucá (PMDB-RR) e Garibaldi Alves (PMDB-RN).

Todas as denúncias foram proferidas no âmbito da Operação Lava Jato.

Entretanto, não somente figuras políticas foram denunciadas. Empresários também fazem parte do inquérito em que se apura crimes relacionado à corrupção e irregularidades na Transpetro, que é uma estatal ligada à Petrobrás. Foram denunciados o ex-senador e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado (PMDB-CE), além dos empresários Luiz Maramaldo e Nelson Maramaldo, da NM Engenharia e Fernando Reis, que é executivo da Odebrecht Ambiental.

A denúncia da PGR, é fundamentada em crimes que teriam sido cometidos, em se tratando de corrupção ativa e passiva e ainda crime de lavagem de dinheiro, durante o período compreendido entre 2008 e 2012, de acordo com o conteúdo de acordos de colaboração premiada dos empresários Sérgio Machado, Luiz Fernando Maramaldo e Fernando Reis.

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, o esquema teria movimentado aproximadamente R$ 100 milhões, em que haveriam supostos esquemas de pagamentos de propinas direcionados a políticos como Renan Calheiros, como sendo doações oficiais. Entretanto, tratava-se de contratos fraudulentos firmados junto à Transpetro.

O procurador-geral Rodrigo Janot, foi ainda mais longe ao solicitar que haja a perda de função pública dos acusados, além da condenação pelos crimes cometidos, "principalmente por terem agido com a violação de seus deveres para com o Estado e a sociedade brasileira".

Defesas contestam

A defesa do senador Renan Calheiros afirmou que a denúncia do procurador-geral Rodrigo Janot, seria de viés "político". Já o advogado Antônio Kakay, que defende o senador Romero Jucá e o ex-presidente José Sarney, argumentou que Rodrigo Janot, estaria jogando suas flechas finais". Já a defesa do senador Valdir Raupp afirmou que ele "jamais teria tratado de doações de campanhas eleitorais com diretores da Transpetro, ou quaisquer outras pessoas, já que o senador não teria sido candidato a cargo público eletivo de 2012 e 2014.