Em um ato público realizado no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (24), o presidente da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), Roberto Veloso, se manifestou de modo contundente, ao demonstrar apoio da entidade que representa os juízes federais de primeiro grau em todo o país, em relação aos episódios extremamente polêmicos que envolveram o juiz Marcelo Bretas.

O magistrado carioca é o responsável pela condução da força-tarefa de investigação da Operação Ponto Final, que é considerada um "braço" da Operação Lava Jato, no Rio de Janeiro e é conduzida, a partir da Sétima Vara Criminal do estado do Rio de Janeiro. A força-tarefa investiga escândalos de corrupção, relacionados ao transporte público da capital fluminense.

Cobranças à presidente do Supremo, Cármen Lúcia

As manifestações do presidente da Associação dos Juízes Federais, contou ainda com o apoio de políticos e até mesmo artistas. Roberto Veloso cobrou de forma direta a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia. A entidade solicita que a presidente da mais alta Corte do país possa se posicionar a respeito do juiz federal Marcelo Bretas, que acabou recebendo críticas, por meio de declarações do ministro do Supremo, gilmar mendes.

O caso polêmico que acarretou "embates" entre a primeira instância de Marcelo Bretas e a mais alta Corte, através de Mendes, se refere à liberação do empresário carioca Jacob Barata Filho, considerado o "rei do ônibus" no Rio de Janeiro. Mendes atacou de modo veemente, a Procuradoria da República, que havia solicitado o impedimento de Gilmar Mendes, em relação ao julgamento do habeas corpus concedido ao empresário do setor de transportes, já que segundo os procuradores federais, o ministro Gilmar Mendes teria ligações muito próximas com o acusado, por ter sido até mesmo, padrinho de casamento da filha do empresário.

Na ocasião, Gilmar Mendes afirmou que estaria ocorrendo uma "inversão de valores" e que se isso acontecesse, em relação a um suposto impedimento seu, algo relativo ao "rabo abanar o cachorro". A reação do presidente da Associação dos Juízes Federais, Roberto Veloso, foi incisiva, ao solicitar que a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, defenda o juiz Marcelo Bretas, em relação às declarações dadas pelo ministro Gilmar Mendes.

De acordo com Roberto Veloso, "nessa data de 24 de agosto, quinta-feira, a realização de um ato de desagravo, é devido ao cansaço de se emitir notas por meio da Ajufe, contra as atitudes do ministro Gilmar Mendes". Veloso foi ainda mais longe ao considerar que "as notas emitidas pela entidade já não bastariam para tamanhas manifestações de desapreço ao poder público, que ele próprio (Gilmar Mendes) faz parte e o motivo de todos estarem nesse desagravo, é para mostrar ao ministro e a todos os poderosos o que está escrito em nosso hino nacional: Verás que um filho teu, Brasil, não foge à luta".