No dia 11 passado, na faculdade de direito da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), teve um evento onde o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez um discurso bastante crítico com a postura do juiz federal Sergio Moro. A Operação Lava Jato foi um outro alvo do petista, que não poupou ninguém que fez sua condenação e disse que não vai morrer antes de alcançar a Presidência da República novamente. No evento estavam também militantes do partido do ex-presidente e, ao seu lado, a também ex-presidente Dilma [VIDEO] Rousseff, além de professores e alunos.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Sergio Moro

Lula, um tom acalorado, afirmou que por traz da Operação Lava Jato tem um partido operando com a conivência da imprensa, e promete que, se voltar à Presidência, vai regulamentar todas as agências de notícia e imprensa do país.

Ainda continuou dizendo que muitas pessoas devem trabalhar muito para atrapalhar a sua candidatura para que ele não volte. Se não atrapalharem, ameaçou regulamentar todos os órgãos que possam passar informações e notícias.

Nesse evento, que tinha o nome de ‘’Ato pela Reconstrução de Uma Democracia de Direito’’, o discurso do ex-presidente petista durou meia hora. Lula, estava muito exaltado por causa da condenação que sofreu e os outros processos que estão em andamento na Lava Jato.

O discurso tomou rumos políticos e o ex-presidente começou a dizer que o que sustentou, o que ele chama de “golpe”, foi a imprensa e disse que quem executou o “golpe” foi um advogado, querendo dizer que quem “maquinou” o impeachment da ex-presidente Dilma foi o então vice-presidente Michel Temer (PMDB). Ainda continuou insinuando que o Brasil não vive um estado democrático de direito, assim como as pedaladas fiscais não são crime no mundo inteiro e que no Brasil é comum esse tipo de ato.

Lula chega a dizer que o que motiva a Operação Lava Jato é um só partido político e que a operação não tem nenhuma sustentação jurídica. Ainda disse que tanto a Petrobras quanto a indústria naval brasileira estão com dificuldade graças a isso.

Também em seu discurso, o ex-presidente fez duras críticas sobre a sua própria condenação e ainda mais críticas ao juiz federal Sérgio Moro. Para o ex-presidente, é o juiz que deve provar que é culpado, pois só poderá oferecer sua inocência, enfatizando a sua inocência ainda mais. Ele ainda disse que nenhum réu pode ficar acima da lei. Lula afirmou que nem o juiz e nenhum procurador é mais honesto do ele.

O ex-presidente encerrou seu discurso fazendo menção ao Hino Da República, fazendo comparação a situação que a nação se encontra. O petista diz que o Brasil passa por uma crise de liberdade e que, ao invés de gritar para colocar para fora o presidente Michel Temer, se tem que gritar para a liberdade abrir as asas para todos, igual o hino.

Lula encerrou o discurso muito nervoso, usando os versos iniciais do Hino de Proclamação da República, fez a comparação muitas vezes ao decorrer do evento.

Também, afirmou que, ao invés de os militantes gritarem “fora Temer”, porque não, o verso do hino. Ainda concluiu, que o pais está faltando liberdade e que ela abra as “asas” para o país.