Mesmo depois de ser condenado em primeira instância, no dia 12 de julho, pelo juiz federal Sérgio Moro, da Vara de Curitiba (PR), a 9 anos e meio em regime fechado no processo referente ao tríplex do Guarujá (parte integrante das investigações da Lava Jato), litoral sul paulista, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu nas pesquisas para a eleição do próximo ano.

Na época da sentença do juiz - que também determinou o pagamento de multa de R$ 543 mil por crime de corrupção e mais R$ 126,7 mil por lavagem de dinheiro - o petista contava com 26% das intenções de voto. No entanto, em novo levantamento realizado do último dia 12 ao dia 14, o presidenciável do Partido dos Trabalhadores subiu 6% nas intenções de votos.

Se o pleito fosse hoje, o ex-presidente estaria garantido no segundo turno, mas sem a folga que tem sido registrada nas últimas pesquisas.

Desta vez, foram ouvidas 2.088 pessoas, em 197 cidades brasileiras. Destas, 25% sinalizaram o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) como preferido para assumir o Palácio do Planalto em 2019, ou seja, 522 pessoas contra 668 que votariam no ex-presidente.

Essa é a primeira vez que uma pesquisa de intenção de votos coloca Jair Bolsonaro tão próximo de Lula nas intenções de voto e ameaçando, obviamente, o retorno do petista ao comando do país.

Na mesma sondagem, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ficou com o terceiro lugar, com 4% das intenções.

Votos nulos, brancos e eleitores indecisos somaram 33%, número considerado exorbitante, mas que reflete o desânimo e a descrença do povo brasileiro com a política do país.

A pesquisa foi realizada pelo site Poder 360, do jornalista Fernando Rodrigues, que trabalhou na Folha de São Paulo ente 1987 a 2014, no SBT de 2010 a 2011; ex-editor de política em blog publicado no UOL (Universo Online) de 2000 a 2016 e colunista da Rádio Jovem Pan de 2007 a 2017.

Em um cenário sem a presença do ex-presidente, Bolsonaro ganha a liderança isolada com 27% dos votos contra o segundo lugar de Alckmin, com 9%, e o terceiro de Ciro Gomes (PDT-CE), 8%. Marina Silva (Rede) figura empatada com o mesmo percentual do presidenciável pedetista.

O ex-prefeito Fernando Haddad (PT-SP) também foi citado nesta amostragem e ficou em último lugar, atingindo apenas 3% das intenções de voto.

Neste quadro, brancos, nulos e indecisos atingiram a incrível marca de 45%.

COM JOÃO DORIA

Muito citado como pré-candidato tucano à corrida presidencial de 2018, João Doria foi incluído na pesquisa, em uma terceira situação, sem a presença de Lula. Desta forma, o deputado Jair Bolsonaro venceria a eleição com 25% das intenções de voto, contra 12% do prefeito de São Paulo. Ciro Gomes, Marina Silva e Fernando Haddad figuraram em terceiro, quarto e quinto lugar, sucessivamente, com os seguintes percentuais: Ciro com 9%, Marina com 6% e Haddad com 5%.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Siga a página Lava Jato
Seguir
Siga a página Lula
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!