Mesmo depois de ser condenado em primeira instância, no dia 12 de julho, pelo juiz federal Sérgio Moro, da Vara de Curitiba (PR), a 9 anos e meio em regime fechado no processo referente ao tríplex do Guarujá (parte integrante das investigações da Lava Jato), litoral sul paulista, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu nas pesquisas para a eleição do próximo ano.

Na época da sentença do juiz - que também determinou o pagamento de multa de R$ 543 mil por crime de corrupção e mais R$ 126,7 mil por lavagem de dinheiro - o petista contava com 26% das intenções de voto.

No entanto, em novo levantamento realizado do último dia 12 ao dia 14, o presidenciável do Partido dos Trabalhadores subiu 6% nas intenções de votos.

Se o pleito fosse hoje, o ex-presidente estaria garantido no segundo turno, mas sem a folga que tem sido registrada nas últimas pesquisas.

Desta vez, foram ouvidas 2.088 pessoas, em 197 cidades brasileiras. Destas, 25% sinalizaram o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) como preferido para assumir o Palácio do Planalto em 2019, ou seja, 522 pessoas contra 668 que votariam no ex-presidente.

Essa é a primeira vez que uma pesquisa de intenção de votos coloca Jair Bolsonaro tão próximo de Lula nas intenções de voto e ameaçando, obviamente, o retorno do petista ao comando do país.

Na mesma sondagem, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ficou com o terceiro lugar, com 4% das intenções.

Votos nulos, brancos e eleitores indecisos somaram 33%, número considerado exorbitante, mas que reflete o desânimo e a descrença do povo brasileiro com a política do país.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Jair Bolsonaro

A pesquisa foi realizada pelo site Poder 360, do jornalista Fernando Rodrigues, que trabalhou na Folha de São Paulo ente 1987 a 2014, no SBT de 2010 a 2011; ex-editor de política em blog publicado no UOL (Universo Online) de 2000 a 2016 e colunista da Rádio Jovem Pan de 2007 a 2017.

Em um cenário sem a presença do ex-presidente, Bolsonaro ganha a liderança isolada com 27% dos votos contra o segundo lugar de Alckmin, com 9%, e o terceiro de Ciro Gomes (PDT-CE), 8%.

Marina Silva (Rede) figura empatada com o mesmo percentual do presidenciável pedetista.

O ex-prefeito Fernando Haddad (PT-SP) também foi citado nesta amostragem e ficou em último lugar, atingindo apenas 3% das intenções de voto.

Neste quadro, brancos, nulos e indecisos atingiram a incrível marca de 45%.

COM JOÃO DORIA

Muito citado como pré-candidato tucano à corrida presidencial de 2018, João Doria foi incluído na pesquisa, em uma terceira situação, sem a presença de Lula.

Desta forma, o deputado Jair Bolsonaro venceria a eleição com 25% das intenções de voto, contra 12% do prefeito de São Paulo. Ciro Gomes, Marina Silva e Fernando Haddad figuraram em terceiro, quarto e quinto lugar, sucessivamente, com os seguintes percentuais: Ciro com 9%, Marina com 6% e Haddad com 5%.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo