A advogada Rosangela Wolff Moro, esposa do juiz responsável pela Operação Lava Jato Sérgio Moro, resolveu postar em sua página do Facebook "Eu MORO com ele", um bilhete direcionado ao juiz, escrito num papel de guardanapo. Rosangela chamou a mensagem de "surpresinha" e foi recebida durante um jantar do casal. Nos dizeres da mensagem há um agradecimento profundo por tudo que o juiz tem feito pela Justiça do Brasil. A pessoa que escreveu preferiu não se identificar.

O bilhete foi escrito por possíveis empresários de Curitiba, que estavam parabenizando o juiz pelo excelente trabalho realizado. No final, a mensagem foi terminada com a seguinte frase: "Obrigada por você existir".

Nesta página da esposa de Moro, ela sempre coloca notícias do juiz e mostra presentes que ele recebe.

Sérgio Moro tem sido um juiz de grande destaque nacional e internacionalmente. Uma de suas decisões mais importantes foi quando determinou a condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A maioria da imprensa mundial elogiou a Operação Lava Jato, dizendo que ela salvou o país de estar mergulhado numa grave crise, como ocorre na Venezuela.

Musical

A Operação mais famosa do Brasil no combate à corrupção irá se transformar, no ano que vem, em um musical. O espetáculo, que se chamará "Lava Jato - o musical", já recebeu autorização e verbas para chegar ao público em 2018. A escolha do elenco será em breve e já estão sendo feitas audições para buscar talentos para participar do show.

De acordo com informações da produção, A "Lava Jato - musical" será uma comédia inspirada no momento histórico no qual vivemos.

Uma das cenas mais importantes será a chegada do ex-governador Sérgio Cabral na prisão.

Sentença

O presidente do Tribunal Regional Federal da 4° Região, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, 54 anos, disse, em uma entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo", que a sentença proferida por Moro que condenou o ex-presidente Lula foi muito bem preparada sendo tecnicamente irrepreensível [VIDEO]. Segundo Lenz, os exames minuciosos revelados por Moro farão a sentença entrar para a história do Brasil.

O presidente do TRF também afirmou que não concorda com aquelas pessoas que dizem que indícios não são provas. Ele segue o mesmo pensamento de um ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) [VIDEO], Paulo Brossard, que já é falecido. Na época, Brossard disse que a prova indiciária é tão prova quanto as outras.