Ninguém, absolutamente ninguém, está isento de ter problemas de relacionamento, envolvendo componentes passionais na vida, mas a forma legal e honesta como cada uma dessas pessoas resolve tais situações é que faz toda a diferença.

Lamentavelmente, conforme notícias quentes de uma ocorrência policial, Guilherme Prócida, que é vereador pelo PSDB na cidade de Mongaguá, região litorânea do Estado de São Paulo [VIDEO], está fazendo justamente o contrário do que a lei determina, uma vez que, durante esta semana, o político foi condenado a três meses e 18 dias de prisão por agredir intencionalmente a ex-mulher.

A mulher vitimada tem 33 anos e trabalha como professora de Educação Física.

Guilherme desferiu vários murros na cabeça da mulher, que ainda teve os cabelos puxados e foi arrastada violentamente pelas escadarias da residência.

De acordo com informações liberadas por Cristina Yoshiko, advogada da vítima, o que fez com que essa última denunciasse o vereador, foi que, às vésperas do Natal de 2011, a agredida discutiu com o marido porque descobriu que ele a estava traindo, embora já fossem casados há 3 anos.

Quando a ex-esposa confrontou Guilherme com a verdade, foi o que bastou para que o homem socasse muitas vezes o rosto dela e a segurasse pelos cabelos, arrastando-a escada abaixo. [VIDEO] A mulher ameaçou contar para todo mundo as promiscuidades do marido, que inclusive na ocasião era um assíduo frequentador de casas de swing (local para práticas sexuais com troca de casais).

Ainda segundo o relato de Yoshiko, Guilherme chegou ao ponto de, durante a briga, fazer a esposa engolir a raiz de uma planta com terra e tudo, para parar de fazer aquele tipo de acusação.

A mulher surrada teve que fugir escorraçada da cidade para poder salvar a própria vida, mas ela não se deixou intimidar e registrou posteriormente um boletim de ocorrência, continuando com a ação, segundo informou a advogada.

Porém, mesmo após ter sido agredida, a ex-esposa continuou a receber ameaças a sua integridade física por meio de e-mails; sendo que, em um deles havia a seguinte frase: "Cuidado, você pode amanhecer boiando em um rio".

As ameaças, inclusive, estão constando nos autos do processo, o qual foi julgado aproximadamente cinco anos depois do crime.

A sentença, que foi conferida na última segunda-feira (13), foi considerada como pequena pela vítima, que estuda, junto com sua advogada, se vai recorrer ou não, acrescentando se incorporará a ação por danos morais. A ex-mulher, que se separou imediatamente do vereador do PSDB, atualmente mora no interior de São Paulo.

Guilherme Prócida, que é filho de Artur Prócida, prefeito de Mongaguá, pelo PSDB, está divorciado atualmente. [VIDEO]

Eugênio Malavasi, advogado de defesa de Guilherme, disse que está ciente da sentença proferida, mas que o seu cliente é completamente inocente, daí ele já ter avisado que entrará com recurso, uma vez que, de acordo com ele, não houve ameaça, sequer agressão e tudo já estaria prescrito.