O Procurador regional da República e coordenador da assessoria criminal da PGR, Danilo Dias, faz um relato emocionante, no qual compara a Lava Jato ao filme do diretor inglês Christopher Nolan, que estreou recentemente. O filme, chamado de Dunkirk, relata um dos fatos inéditos na história da segunda guerra mundial. A história se passa em maio de 1940. Danilo descreve brilhantemente como foi feito o resgate das tropas aliadas, através do Canal da Mancha, partindo de Dunquerque, na França até Dover, na Inglaterra. O procurador diz que isso foi possível porque a Marinha Britânica contou com uma esplêndida ajuda da população civil, que também possuía embarcações.

Não só homens mas mulheres também navegaram auxiliando desesperadamente as Forças Armadas dos britânicos.Toda essa solidariedade da população civil salvou aquela tropa, que estaria condenada à morte, se não fosse essa ajuda da população.

Comparação feita por Danilo Dias

Danilo narra o episódio do filme porque, nos últimos meses, a guerra travada aqui no Brasil pela Lava Jato [VIDEO]contra a corrupção traz expectativas desanimadoras. E o cerco se fechando contra a Lava Jato lembra muito esse episódio em Dunquerque. O procurador diz que os sinais emitidos pelo Executivo, Legislativo e até mesmo por algumas figuras do Judiciário, as vezes por falas diretas ou por gestos e ainda por panfletos da imprensa são bastante claros.

Danilo diz que trabalham sem descanso na investigação e no desmembramento dos casos escandalosos da corrupção no país, estes sinais são visíveis.

Eles parecem ouvir a mesma ameaça que os alemães fizeram aos soldados aliados, que através de folders diziam para as tropas britânicas : 'vocês estão cercados, rendam-se'.

De fato, ele diz 'estamos mesmo sofrendo um grande cerco'. O procurador compara a situação da força-tarefa ao episódio da guerra e diz que, às vezes, a situação deles é pior do que a do filme, pois parece que estão isolados em uma praia deserta.

As vozes silenciaram

Diz o procurador que as vozes silenciaram e que, passado o primeiro susto, o sistema político corrupto se refez e se fortaleceu. A opinião pública que é tão indispensável para a Lava Jato, se desvaneceu e uma parte da imprensa agora acha normal o vale tudo na política. O procurador diz que as malas de dinheiro, as conversas clandestinas com criminosos, os milhões em propinas recebidos explicitamente não impressionam mais a sociedade.

Elite política imersa no crime

Danilo diz que a elite política agora parece estar totalmente imersa no crime. Não sabem mais trabalhar senão por meios criminosos.

E diante disso tudo, só lhes resta tentar enlamear a reputação dos poucos que tiveram a coragem de mostrar a podridão do sistema político brasileiro.

A intimidação contra os procuradores não vem do céu como no filme, mas pulam dos jornais. "Os tempos são ameaçadores", diz o procurador. A única esperança dos mesmos é na sociedade mobilizada contra a corrupção. Diz ainda que, se isso não acontecer, o país será derrotado e subjugado por esse mar de lama.