Novos partidos, antigos problemas. Os caciques do Partido do Movimento Democrático Brasileiro [VIDEO] (PMDB) discutem a possibilidade da mudança de nome do partido. Após vários escândalos de corrupção política envolvendo a cúpula da sigla e o próprio governo consequentemente, surgiu a proposta da alteração.

A finalidade principal é diminuir o desgaste causado pelos últimos fatos e assim tentar minimizar a rejeição que hoje em dia chega a 90% do eleitorado brasileiro. O presidente Michel Temer [VIDEO] concordou com a mudança após reunião com os demais dirigentes.

A cúpula do partido chegou à conclusão que seria ideal deixar de ser ‘partido’.

A intenção é voltar a ser Movimento Democrático Brasileiro (MDB), da mesma forma que foi no período entre 1966 a 1979 durante a ditadura militar. Os dirigentes do partido pretendem fazer uma convenção nacional para discutir a mudança do nome da legenda até o final de setembro.

A convenção será realizada antes mesmo da comunicação ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pois intenção é que caso seja aprovada, o MDB comece a vigorar já nas próximas eleições de 2018. O senador Romero Jucá, presidente nacional do partido, afirmou que vai rebater as críticas que dizem que a sigla está mudando de nome para se esconder. Segundo Jucá, eles estão resgatando a própria memória histórica do partido, querem ganhar as ruas como foi na época da ditadura militar, terão bandeiras nacionais e uma nova programação.

Outros assuntos não foram discutidos, tais como a expulsão dos senadores [VIDEO] Roberto Requião(PR) e Kátia Abreu (TO), conforme comentou Romero Jucá. A possível expulsão dos senadores foi motivada pelas críticas feitas ao governo de Michel Temer e suas propostas de reforma previdenciária e trabalhista.

Outros partidos seguem a mesma tendência do ainda PMDB, com a intenção semelhante de se dissociar da atual crise política nacional e aproximar-se do eleitorado brasileiro. O novo Podemos (Pode) já foi um dia PTN (o partido já concretizou a mudança do nome da legenda).

O Avante já foi PTdoB, e o PSDC agora é Democracia Cristã. Outra nova legenda pode surgir é o Patriota, que atualmente é conhecido como PEN, provável partido do presidenciável Jair Bolsonaro. Já o partido do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, DEM antigo PFL pretende novamente mudar de nome, talvez venha ser o Mude e revisará seu estatuto com a finalidade de filiar parlamentares do PSB.