Após a condenação do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), depois da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que manteve a condenação do parlamentar por insultos à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), alguns senadores resolveram dar suas opiniões sobre o acontecido dentro do próprio Senado.

O deputado Jair Bolsonaro [VIDEO] foi condenado a pagar R$ 10 mil à deputada Maria do Rosário [VIDEO] por ter dito que ela não merecia ser estuprada por ser “muito feia”. Por ser Bolsonaro o autor da frase, a repercussão cresceu ainda mais.

Manifestação da senadora Vanessa Grazziotin sobre a condenação de Bolsonaro

“Então, para a gente, uma votação unânime como esta, senhoras e senhores senadores, que teve como hoje, é muito importante porque mostra que o homem tem que tratar a mulher com respeito, assim como ele trata outro homem.

Tem que tratar como ser humano digno. Jamais dizer o que ele disse a ela. Jamais. Jamais.

E o parlamento, sobretudo, não pode compactuar com atitudes como essa. Então, eu quero aqui também dizer, da nossa alegria, e mandar um abraço à deputada Maria do Rosário, porque o Brasil inteiro neste momento a abraça.” Foi assim que a deputada federal Vanessa, do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) se pronunciou com relação à condenação do deputado Jair Bolsonaro.

Esculacho de Magno Malta com todos que foram a favor da condenação de Bolsonaro

“Agora, eu vi aqui muitos discursos comemorando a decisão contra Bolsonaro. Não sou advogado de Bolsonaro. Cada um procede como quer prosseguir. Mas tem uma gravação de Lula dizendo que a ministra Rosa Weber tinha s**o, chamando-a de g****o d**o. O STJ (Supremo Tribunal de Justiça) podia ter tomado a mesma decisão com Lula.

Mas eles podem tudo e ninguém pode nada.

Ontem, um sujeito me mandou um post dizendo que estava em uma reunião com alguns simpatizantes de Bolsonaro e, de repente, entraram alguns policiais. Entraram e fizeram o quê? Porque simpatizante de Lula pode queimar ônibus, pode quebrar patrimônio público, pode botar fogo em ministério, pode botar fogo até na igreja de Brasília que está tudo certo. Eles podem tudo e ninguém pode nada.

Para cima de mim? Duzentos anos na vida que tenho não vou ficar engolindo uma cara de pau dessa todos os dias falando a mesma coisa. O Roger Abdelmassih foi mandado para casa, essa criança, por uma ministra mulher. Eu não vi nenhuma mulher aqui, aqui, e para a porta do STJ com uma faixa dizendo: 'Ministra, seja mulher. A senhora errou: esse homem é estuprador'.

Ninguém fez nada. Não vi nem discurso delas aqui, condenando esse desgraçado que está em casa, o pobrezinho, tomando leito. Teve gente que foi preso com 10 gramas de cocaína, meio quilo de maconha e está com tuberculose na cadeia e com Aids e ninguém manda soltar, mas esse peste que estuprou 49 mulheres não vi nenhuma mulher se manifestar aqui 'Mexeu com uma, mexeu com todas'.

Não.

Elas só fizeram essa manifestação com a menina da Globo porque quando o Zé de Abreu, do PT, cuspiu na cara da mulher no restaurante ninguém se manifestou. Agora estou vendo essa pantomima toda aqui. Não sou de Bolsonaro, mas Lula chamar uma ministra do Supremo de g***o d**o e ver ninguém fazer nada, nem o próprio STJ. Aí todo mundo bota o s***o na viola ou o r**o no meio das pernas, como quiser, e se calam.” Foi nesse tom nada amistoso que o senador Magno Malta (PR-ES) mostrou toda sua indignação.