O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva prestou um novo depoimento ao juiz federal responsável pela operação Lava Jato em Curitiba, o magistrado Sérgio Moro, desta vez respondendo sobre a sede do Instituto Lula supostamente construída pela empreiteira Odebrecht, que seria uma propina dada ao petista em troca dos favorecimentos feitos à empresa durante o governo de Lula [VIDEO] entre 2003 e 2010.

Este depoimento causou um grande rebuliço na imprensa brasileira, e Lula tentou explicar o porque que os oito contratos fechados com a Odebrecht durante o seu governo não teve valores superfaturados para o seu favor, e o advogado do ex-presidente, Cristiano Zanim, fez um vídeo após o depoimento explicando para que serviu o depoimento.

Para que serviu?

O advogado Cristiano Zanim afirmou que não tem nenhuma relação entre Lula e algum suposto superfaturamento em contratos com a Odebrecht, e não há alguma prova das acusações que estão sendo feitas, o advogado de Lula afirmou que este depoimento foi só para causar ainda mais comentários na imprensa sobre o ex-presidente e tentar destruir a popularidade do mesmo.

Os apoiadores do Partido dos Trabalhadores apoiam que o ex-presidente Lula retorne ao governo no ano de 2018, mas para isso não pode ser condenado em qualquer processo que é réu no momento, o que o petista corre maior risco é no caso do tríplex do Guarujá, em Litoral de São Paulo, no qual foi acusado por ter recebido o imóvel em forma de propina da empreiteira OAS [VIDEO], mas o mesmo nega que o apartamento seja dele.

Lula foi condenado em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e meio de prisão, agora o ex-presidente aguarda ser julgado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF4), e se caso o colegiado de juízes manter a decisão de Moro, o petista será preso e não poderá se eleger a qualquer cargo público do poder executivo e legislativo, por isso que Lula deve dar "adeus" a política caso isso aconteça.

É certo que ex-presidente vá para o segundo turno das eleições presidenciais de 2018 caso participe, pois nas pesquisas presidenciais sempre aparece liderando ou algumas vezes na segunda posição enquanto o deputado federal Jair Messias Bolsonaro fica em primeiro em algumas poucas pesquisas, o segundo turno provavelmente será entre os dois pré-candidatos, mas os eleitores petistas terão de torcer para que Lula não seja condenado.