Nesta quarta-feira (13), o ex-presidente Luiz Inácio Lula [VIDEO]da Silva estará mais uma vez frente a frente com o juiz em primeira instância da Operação Lava Jato, Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba. Lula dará seu depoimento, entretanto, não deverá ser preso, segundo advogados especialistas na área.

Um dos advogados criminalistas, Daniel Bialski, afirmou que Lula tem o direito de discordar das afirmações feitas contra ele, só não poderá ofender aos servidores públicos que estarão exercendo o seu papel.

“As chances de Lula ser preso são mínimas”, afirmam advogados

Advogados afirmaram que a chance de Lula ser preso nesta quarta-feira é pequena.

Mesmo após as declarações feitas por Antônio Palocci em depoimento, as chances da prisão preventiva de Lula são mínimas. Em depoimento, Palloci declarou que Lula permitiu um “pacto de sangue” entre o Partido dos Trabalhadores (PT) e a empreiteira Odebrecht. Apesar disso, advogados concordam que é “improvável” que Moro decrete a prisão de Lula, pois, segundo eles, para que isso realmente acontecesse, teria que ser provado que Lula promove atos de obstrução de Justiça, que tenha preparado fuga para outro país ou se comprovasse que o fato dele estar livre coloca em risco a ordem pública.

O primeiro depoimento prestado por Lula a Sérgio Moro aconteceu há quatro meses. Posteriormente, o ex-presidente foi condenado pelo juiz de primeira instância a nove anos e seis meses de prisão. Tal decisão foi tomada por Moro, após ele aceitar a denúncia feita pelo Ministério Público Federal (MPF), na qual dizia que Lula recebeu propina da OAS em esquema de corrupção que envolve a Petrobras.

O ex-presidente nega todas as acusações. Advogados do petista recorreram da decisão, e quem julgará o caso é o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em segunda instância.

Nesta quarta-feira, Lula prestará mais um depoimento à Justiça Federal, sob suspeita de ter envolvimento em esquema de corrupção que envolve oito contratos que foram supostamente feitos entre a Odebrecht e a Petrobras no período de 2004 a 2012. Além disso, ele está sendo acusado de corrupção passiva e de ter cometido 94 crimes de lavagem de dinheiro. Segundo a Lava Jato, Lula teria participado de um grande sistema de corrupção com o intuito de beneficiar-se. O petista nega tais acusações.

Deixe seu comentário, ele é sempre muito importante para nós.