O presidiário e ex-ministro, Geddel Vieira Lima (PMDB), e Michel Temer (PMDB) [VIDEO] são amigos há mais de 30 anos. Geddel foi braço direito do chefe do Executivo e seu articulador político no governo. Formavam uma cúpula interna no PMDB, que ainda contava com outros presidiários, Henrique Alves e Eduardo Cunha. Mesmo com tantas ligações, aliados do Planalto tentando desvincular a imagem de Temer a de Geddel Vieira após sua segunda prisão na última semana.

O UOL conversou com deputados que fazem parte da base aliada do governo e todos foram unânimes em afirmar que a prisão de Geddel Vieira Lima não tem nenhuma ligação com Michel Temer.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Michel Temer

Os congressistas acreditam que o caso é um fato isolado e não deve em nada contaminar o apoio a Temer. Eles garantem que a possível segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra Temer não deve correr risco de passar na Câmara por conta desse caso.

O líder da maioria na Câmara, deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), declarou que a prisão do companheiro de partido é uma "consequência" por seus atos.

Carlos Marun (PMDB-MS), um dos principais defensões do presidiário Eduardo Cunha, tentou ponderar a proximidade de Geddel e Temer ao dizer que o primeiro foi ministro apenas por um curto espaço de tempo. E completou dizendo que aconteceu o que tinha que acontecer.