O clima ficou quente na manhã de ontem (15), na universidade Fumec, em Belo Horizonte, onde o deputado federal e provável candidato à Presidência da República em 2018, Jair bolsonaro (PSC-RJ) participou de uma palestra. Do lado de fora, manifestantes pró e contra o político se aglomeraram e trocaram xingamentos, a polícia militar teve de intervir para evitar uma pancadaria generalizada. Dentro da instituição, o clima também teve momentos de grande tensão.

Em um dos vídeos que circulam na internet, dá para ver Bolsonaro, cercado por seguranças, passando rapidamente por um corredor, enquanto vários estudantes da universidade gritam “Fora, Bolsonaro”, “golpista [VIDEO]”, “Fascistas, golpistas não passarão”, além de outros adjetivos.

Alguns deles tentaram se aproximar do deputado com extrema rispidez, dando a entender que poderiam até agredi-lo, mas não conseguiram graças ao cerco feito pelos seguranças.

Em outro vídeo, já em segurança, em uma sala, Bolsonaro, apesar de tentar sorrir, aparece com expressão preocupada e critica longamente a intolerância dos que não o suportam e fala sobre a doutrinação de parte dos jovens precisa ser evitada, por isso, segundo ele, a importância da Escola sem Partido. Durante as explicações do deputado, algumas vezes os xingamentos direcionados a ele foram ouvidos nitidamente.

Dentro da universidade, grupos pró e contra Bolsonaro disputaram no grito. De um lado pessoas gritavam “Fora, Bolsonaro” e do outro: “um, dois, três, quatro cinco mil, queremos Bolsonaro presidente do Brasil.

Mais confusão durante a palestra

Enquanto Bolsonaro ministrava sua palestra, houve um novos momentos de grande tensão [VIDEO], apesar da grande maioria da plateia ser fã do candidato, alguns gritos novamente de “Fora, Bolsonaro”, atrapalharam o palestrante.

Vaias e gritos de “Fora, comunista” e “Vai para Cuba” vieram como resposta. Um forte murmurinho tomou conta, enquanto o deputado tentava retomar a palavra.

Quando o tumulto parecia ter cessado e Bolsonaro falava, novos xingamentos foram proferidos a ele. A plateia passou a vaiar e o deputado perdeu a paciência. “Você não tem vergonha na cara, não, rapaz?” Na sequência ele diz que se o rapaz quiser, ele lhe dá o microfone, mas desde que não diga palavrão. Um jovem então se levanta e caminha em direção ao palco, porém é contido por dois seguranças. Não é possível verificar pelo vídeo, se o jovem foi reconduzido ao seu local ou retirado do ambiente.

Dois fãs de Bolsonaro acabam presos

Do lado de fora da universidade, mais confusão. Dois manifestantes pró Bolsonaro acabaram presos por crime de racismo e homofobia. Eles teriam chamados os estudantes negros de macacos e os gays de aidéticos. os dois negaram as acusações e disseram que eles é que foram vítimas de ameaça, injúria racial, calúnia e agressão.