Falar o que pensa, seja de forma positiva ou negativa, é uma das características do vice-presidente nacional do PDT e pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT), que já foi governador do Ceará. Em um encontro de seu partido neste sábado (23) em São Paulo, ele afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem chances de se eleger, apesar de o ex-ministro Antonio Palocci, acusá-lo de envolvimento direto no esquema de corrupção investigado pela Operação Lava Jato.

Para Ciro Gomes [VIDEO], existe uma grande chance de Lula voltar à presidência porque, em sua avaliação, o petista fez bem a milhões de pessoas no país.

"Fez muito bem ao Brasil", afirmou o político cearense. Ele ainda acrescentou que existe uma perseguição contra Lula. O pedetista fez questão de ressaltar que a responsabilidade do ex-presidente não é na esfera penal. Segundo ele, Lula tem uma certa responsabilidade política em tudo o que aconteceu, mencionando que foi o petista quem pôs, por exemplo, o presidente Michel Temer (PMDB) como o vice-presidente de Dilma Rousseff.

O pré-candidato a presidência ainda foi questionado sobre a possibilidade de Lula ficar fora da disputa [VIDEO]do ano que vem, caso seja impedido pela Justiça, se prevalecer em segunda instância, a condenação do juiz Sergio Moro. Gomes disse que, para o bem da democracia, é interessante que nenhum cidadão seja impedido de disputar uma eleição, mas por outro lado, ninguém pode se colocar acima da lei e da Justiça.

O pedetista ainda destacou que para manter a ordem, é preciso aceitar as decisões do Judiciário.

Ciro Gomes foi o governador mais bem avaliado do Brasil

Ciro Gomes começou sua carreira política no antigo PDS, um partido de sustentação ao Regime Militar. Foi pelo PDS que ele disputou, em 1982, sua primeira eleição, elegendo-se deputado estadual. Mais tarde ele confessou que só entrou para o partido porque se fosse para o PMDB não conseguiria se eleger, tanto que após as eleições, ele migrou para o partido de Tancredo Neves e José Sarney.

Ciro Gomes foi reeleito deputado estadual em 1986 e em 1988 ajudou a fundar o PSDB ao lado de Mário Covas e Tasso Jereissati. Após o nascimento do novo partido, ele foi eleito prefeito de Fortaleza. Em 1990 conseguiu se eleger governador do Ceará, recebendo a melhor avaliação do Brasil, segundo pesquisas do Datafolha. Ele também disputou a presidência da República em 2002 pelo PPS, ficando em quarto lugar com 10.170.882 votos.