O comandante do Exército Brasileiro, general Villas Bôas, usou a internet para criticar a prevalência do "politicamente correto" e de todos os seus efeitos. Isso causou uma onda de comentários entre os internautas e se criou uma polêmica sobre a sua fala. Seria um recado ao Supremo Tribunal Federal (STF)? De acordo com as palavras do General, esse "politicamente correto" traz fatos incoerentes em que se demonstra que a supremacia do direito individual sobrepõe ao coletivo.

Na coluna "O que dizem os generais", do site Sociedade Militar, nesta quinta-feira (31), foi destacada tal frase do general. O comandante tem questionado muito, durante a semana, a segurança pública no Brasil e tem mostrado uma estatística preocupante no país, no qual o índice de crimes e assassinatos vem superando, em muito, outros países, sendo o Brasil muito violento.

Além disso, o General tem defendido uma atuação mais forte dos governantes, a criação de amparo legal para os militares que atuam em operações determinadas pelo Governo e uma lei mais rigorosa contra os criminosos que possuem porte de arma com alto poder de fogo.

Parlamentares de esquerda

Uma das grandes preocupações do General é a forma como alguns parlamentares de esquerda veem a criminalidade. Eles insistem em impedir o endurecimento de penas e argumentam que esta não seria a opção ideal contra os criminosos. Outros políticos também agem contra as propostas que poderiam beneficiar os militares, como, por exemplo, o direito de eles serem julgados pela Justiça Militar.

Villas Bôas é um comandante que sempre está em contato com a sociedade e expõe suas preocupações com o país. Do alto escalão, o General é um dos que mais se comunica com as pessoas.

Os melhores vídeos do dia

STF

Alguns seguidores do General tomaram o que ele falou e compararam com os acontecimentos recentes na Suprema Corte [VIDEO]. Gilmar Mendes, principalmente, tem libertado presos da Lava Jato, causando um grande descontentamento na população. A polícia investiga, os tribunais julgam, determinam a prisão e Gilmar Mendes solta. Seria o individual se sobrepondo ao coletivo?

O ministro Marco Aurélio de Mello também, nessa última semana, acabou soltando um traficante e ignorou tudo o que a polícia fez para levá-lo preso. Houve um grande repúdio da sociedade.

Decisões individuais dos ministros, sem que passem pelo Plenário, têm se tornado frequentes e tal fato tem deixado as pessoas revoltadas. Fica no ar se o General estaria alertando o STF de que o caminho a ser seguido deveria ser outro.