O renomado advogado de nacionalidade britânica Geoffrey Robertson, que é o responsável de representar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva perante a Organização das Nações Unidas (ONU), acredita veemente na condenação do petista nas próximas instâncias superiores. A afirmação, que foi dada em um jantar realizado por juristas para homenageá-lo nesta quarta-feira (30), ocorreu em São Paulo.

O criminalista [VIDEO] explicou que, apesar de alguns colegas dizerem que ainda há recursos para Lula na Justiça, a verdade é que não há mais, porque, segundo ele, aqui no Brasil a Justiça é muito parcial.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

Robertson foi ainda mais duro em suas críticas ao dizer que o caso tem que ser encaminhado às instâncias internacionais, onde verdadeiramente há justiça.

A análise do advogado foi referente à defesa realizada pelo Justiça brasileira frente ao Comitê de Direitos Humano da ONU.

Na ocasião, a defesa, firmada pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro, que foi o magistrado que proferiu a sentença do ex-presidente a 9 anos e 6 meses de detenção em regime fechado pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva na questão do tríplex do Guarujá, justificou que o viúvo de Marisa Letícia não pode apelar a cortes internacionais, já que ainda há possibilidade de recursos para que a sentença seja revertida na Justiça brasileira.

Ao concluir que Lula [VIDEO]não teria mais chances de vencer nos tribunais brasileiros, Robertson admitiu que o ex-presidente pode, sim, ficar inelegível e assim estaria definitivamente impossibilitado de disputar a presidência no ano que vem. Se caso for condenado pelo Tribunal Regional Eleitoral da 4º Região, o petista provavelmente seria enquadrado na Lei da Ficha Limpa, o que o tornaria inelegível.

Para embasar seu argumento, o advogado usou a entrevista com cedida pelo presidente do TRF-4, Carlos Eduardo Thompson Flores, ao jornal O Estado de São Paulo, na qual o desembargador deixou claro sua opinião classificando a sentença de Lula como "irretocável" e "irrepreensível".

O advogado ainda disse que o mais ridículo é que o presidente do tribunal basicamente já teria prejulgado Lula ao falar que a sentença proferida por Sérgio Moro é impecável. Para o advogado, torna-se nítido que o julgamento não será imparcial e, sim, uma aberração.

Defesa de Lula assume que não há mais chances para o ex-presidente

Robertson se tornou o primeiro da defesa de Lula a assumir publicamente que não há mais chances para o petista e que é concreta a condenação de Moro. Durante as duas últimas semanas, o Estadão entrevistou em torno de 20 criminalistas que atuam na Operação Lava Jato ou acompanham de perto o caso de Lula.

Preferindo o anonimato, quase a maioria dos ouvidos afirma que as chances de que seja revertida a situação de Lula pela Segunda Turma do TRF-4 são quase nulas.