Guido Mantega, ex-ministro do Planejamento do governo do ex-presidente [VIDEO] Luiz Inácio Lula da Silva e ex-ministro da Fazenda da petista Dilma Rousseff, deixou a cúpula do Partido dos Trabalhadores (PT) aos ‘’nervos’’. O fato é que Mantega, através de acordo com a Justiça, poderá entregar várias falcatruas envolvendo documentos de contratos com a BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) com o grupo empresarial dos irmãos Joesley e Wesley Batista, a JBS/J&F.

Os líderes do partido petista estariam à beira de um colapso, já imaginando o que poderia sair dessa delação. Eles estão prevendo possíveis revelações que prejudicam em cheio o PT.

A "bomba" da delação poderá fazer com que Guido Mantega entregue documentos reveladores sobre os contratos com as empresas investigadas, causando ainda mais danos aos líderes do partido.

Entre as possíveis delações de dois ex-ministros de Lula, Antonio Palocci e Mantega, ao que tudo indica, a delação de Mantega será ainda mais avassaladora, podendo jogar o PT no buraco. Fatos envolvendo o PT fizeram o partido perder grande base eleitoral e se prejudicar nas eleições. Os crimes associados ao partido são de corrupção.

Mantega sente-se 'humilhado'

Outro ponto da delação de Mantega é a explicação sobre contas abastecidas no exterior pela empreiteira Odebrecht em benefício de Lula e Dilma Rousseff. O ex-ministro já deixou claro que sua situação com a Justiça [VIDEO] não é uma das mais favoráveis.

Ele citou que se sentia "humilhado" e que sua vida teria virado um "inferno".

As informações foram divulgadas por Cláudio Humberto, colunista do jornal "Diário do Poder". A respeito da Petrobras, Guido Mantega também dará declarações. Ele assumiu o Conselho de Administração da Petrobras durante os anos de 2010 a 2015. A Petrobras é vista como o centro das investigações da Operação Lava Jato, julgada em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro.

O acordo assinado pelo ex-ministro com o Ministério Público do Distrito Federal foi uma troca de favores com a Justiça para evitar uma possível prisão. No entanto, o Ministério Público poderá agir com outras medidas cautelares, como, por exemplo, o bloqueio de bens do ex-ministro. Mantega afirmou que se comprometerá com a Justiça.

O acordo foi chamado de termo de ciência e compromisso. Segundo o MP, não se trata de uma delação premiada. O acordo foi homologado pelo procurador Ivan Marx. Uma "bomba" contra o PT está prestes a vir à tona.