A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] pediu ao juiz de primeira instância, Sérgio Moro [VIDEO], na última sexta-feira (1º), faltando três dias para o início dos interrogatório, a suspensão do processo o qual o petista é acusado de ter recebido como propina um apartamento no ABC paulista e o terreno para a sede do Instituto Lula.

O documento apresentado pela defesa se baseia em diversos argumento que solicitam a suspensão do processo, e, por consequência, o adiamento dos interrogatórios.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lula

Os primeiros estavam marcados para ocorrer na próxima segunda-feira (4). O primeiro a ser ouvido seria o empreiteiro Marcelo Odebrecht. Além de amanhã, os outros dois dias em que serão realizados os interrogatórios são 6 e 13 de setembro.

A defesa de Lula afirma que o ex-presidente está sofrendo "prejuízo completo" por não possuir os mesmos documentos que o Ministério Público Federal.

Acusação

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é réu no processo por crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva. O petista é acusado de receber propina após contratos fechados entre a Petrobras e a empreiteira. O suposto dinheiro pago a Lula teria sido usado para comprar o terreno da nova sede do Instituto Lula. A quantia também teria sido usada para comprar um apartamento em São Bernardo dos Campos, bem ao lado de onde o ex-presidente reside atualmente.