O depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula [VIDEO] da Silva irritou muitas pessoas e segundo o jornal G1 de terça-feira (12), teria irritado também o advogado do ex-ministro Antonio Palocci. O advogado, Adriano Bretas, disse que o ex-presidente teria mudado as suas opiniões após o colega de partido ter declarado em depoimento seu envolvimento com a empresa Odebrecht.

Bretas ainda disse que enquanto o seu cliente se calou sobre o caso, era um homem totalmente virtuoso e que tinha uma inteligência notável, mas quando quebrou esse silêncio, o ex-presidente o chamou de um homem que era dissimulado e ainda o acusou de ser calculista.

O defensor ainda enfatizou que Lula disse que Palocci só citou ele em depoimento por causa do seu desejo de ter a pena reduzida. Lula disse que teria pena do colega.

O processo de Lula

Lula é citado nesse processo no qual consta que teria recebido em forma de propina, um terreno, onde ficaria uma outra sede do seu instituto e junto, um apartamento, que fica ao lado do qual ele mora em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Bretas disse que o ex-presidente que seria o “dissimulado” da história, que negou todas as provas contra ele e ainda teve coragem de dizer que se encontrava muito poucas vezes com Palocci. No seu novo depoimento, Lula disse que as provas que mostraram eram todas falsas, mesmo se tratando da própria agenda do dono da empreiteira, Emilio Odebrecht. O ex-presidente afirmou se tratar de um documento falso.

Ainda, segundo o advogado do ex-ministro, a lógica de Lula funciona de maneira que se a pessoa disser que ele tem alguma culpa, essa pessoa é mentirosa. Quando os documentos que são apresentados se mostram contra ele, tratam-se de documentos falsos e só o ex-presidente está com a verdade.

Depoimento de Palocci

O ex-ministro Antonio Palocci deu seu depoimento ao juiz Moro na semana passada e disse que o ex-presidente tinha uma espécie de “pacto de sangue” com o presidente mor da Odebrecht, que estava incluído propinas para Lula de mais de R$ 300 milhões de reais.

O ex-presidente Lula se atentou que o colega de partido teria focado em sua pessoa apenas para ter a duração da pena diminuída. Ainda afirmou que é um direito do Palocci querer ser uma pessoa livre, que ele tem todo o direito ao dinheiro que ganhou nesse tempo dando palestras, mas que não deveria ter jogado em cima das outras pessoas os atos de corrupção em que ele esteja envolvido.