A fase não anda boa para o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB). [VIDEO] Após ovada, vaias e xingamentos dentro e fora do País, agora foi a vez de deputados aliados atacá-los de maneira dura.

O fato ocorreu nesta quarta-feira (5) durante sessão na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo),quando dois deputados pediram a palavra e resolveram partir para o ataque contra Doria.

‘O senhor é um traidor!’

O deputado estadual Campos Machado (PTB), aliado do PSDB e do governador Geraldo Alckmin, pediu a palavra e passou a disparar contra Doria, afirmando que trata-se de um traidor, que traiu o governador e que não existe nada pior do que traição.

Na sequência, Machado afirmou que a cidade não tem prefeito, pois Doria é um turista que só vem de vez em quando a São Paulo e que antes se dizia gestor, mas é um político profissional. “O senhor é um traidor. Repito, traidor”, disse o deputado.

O motivo do ataque verbal foi pelo fato cada vez mais claro de Doria pretenderia abandonar a prefeitura e se lançar candidato a presidente em 2018, o que atrapalharia os planos de Alckmin, que tem como certo concorrer ao cargo no ano que vem.

Nesta quarta-feira (6), ao ser questionado se não tinha sido duro demais com o prefeito, Campos Machado negou e disse que foi apenas justo, pois sabe o quanto o governador Alckmin teve que bater de frente contra nomes forte do partido como os senadores José Serra e Aloysio Nunes e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para defender a candidatura de João Doria, pois os demais não o queriam.

Machado ainda afirmou que, mesmo que Doria vá para outro partido, ficará marcado como traidor e que se ele continuar agindo dessa forma, não terá futuro na política.

Deputado tucano detona e ironiza de Doria

A prova de que João Doria está desagradando até mesmo quem lhe era próximo foi dada pelo deputado tucano Carlos Bezerra Júnior, que, na mesma sessão, criticou as seguidas viagens do prefeito para receber medalhas e premiações e aproveitou para ironizar uma declaração de Doria que diz com a tecnologia é possível administrar São Paulo mesmo estando longe dela. O deputado sugeriu que o prefeito faça o contrário, que fique trabalhando em São Paulo e recebe as homenagens de maneira virtual.

O deputado Bezerra é casado com a vereadora paulistana Patrícia Bezerra, também do PSDB e que chegou a ser secretária de Direitos Humanos na gestão de João Doria, mas decidiu abandonar o cargo após a ação dele na Cracolândia, considerada por ela como “um desastre”.

O prefeito voltou a negar que pretenda ser candidato a presidente.