O cantor sertanejo Zezé di Camargo deu uma entrevista recente à jornalista Leda Nagle em seu canal no YouTube. O foco do encontro, como sempre, foi a música.

Mas a situação da conversa tomou outro rumo e chegou até a política brasileira atual, o que fez gerar uma grande polêmica envolvendo o cantor e a sua fala sobre o que aconteceu no regime militar (1964-1985).

A visão de Zezé sobre o regime militar do Brasil

Zezé disse que no Brasil não houve uma ditadura militar no país.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Jair Bolsonaro

Para o cantor, ditadura aconteceu em Cuba, com Fidel Castro; na Hungria, com Nicolae Ceaușescu; e no Chile, com Augusto Pinochet, por exemplo. No Brasil, segundo ele, só aconteceu um "militarismo vigiado".

No entanto, a polêmica, que já era grande, tornou-se ainda maior quando o já consagrado jornalista Augusto Nunes resolveu criticar a posição do cantor de forma nada educada em sua coluna na revista Veja.

As palavras grosseiras de Augusto Nunes, que fez um artigo debochando do cantor com o título ‘’O ídolo idiota’’, não agradou em nada o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-RJ), que saiu em defesa do cantor.

Eduardo Bolsonaro defendendo Zezé em plenário

"Falar do caso do cantor Zezé Di Camargo, que nem sequer expressou apoio a Bolsonaro [VIDEO], nem nada disso não. Ele apenas falou que no Brasil não teve uma ditadura militar. E a Veja faz uma matéria com o título ‘’O ídolo idiota’’. Mais à frente, o jornalista Augusto Nunes, que nem sei se jornalista ele é, termina falando que ele [Zezé] é uma besta quadrada.", introduziu a sua fala o deputado Eduardo dentro do plenário.

Os melhores vídeos do dia

E continuou: "Quer dizer que a pessoa não pode nem falar o que ela pensa que já vem um repórter, se é que é repórter, né? Esse baixo nível aqui: como é que é o nome? Augusto Nunes. Vem falar que o cantor é uma besta quadrada. Prezado Augusto, se o senhor quer respeito, dê-se ao respeito. Debata no plano das ideias. E, prezado Zezé Di Camargo, o senhor tem razão: o Brasil nunca teve uma ditadura militar [VIDEO]. Em 20 anos de regime militar, segundo as contas da própria esquerda, entre mortos e desaparecidos foram em torno de 400 pessoas. No Brasil, em apenas um ano, são assassinados mais de 400 policiais. E que ditadura é essa que toma o poder sem dar um tiro?”, afirmou o deputado.

“Que ditadura é essa em que o Congresso cassa o presidente Jango e, depois de dez ou onze dias, é que o presidente General Castelo Branco é eleito através dos parlamentares e sobe a rampa do Palácio do Planalto? Então, vamos pesquisar mais um pouquinho e desmistificar. Se você que me escuta, tem qualquer tipo de dúvida, pergunte ao seu pai ou avô que tenha mais de 60 anos de idade, que ele vai dizer a verdade daquele período. Que o país saiu da quadragésima oitava posição para oitava posição", finalizou Eduardo Bolsonaro, defendendo o antigo regime do Brasil e o cantor Zezé Di Camargo.