Em uma entrevista concedida ainda em julho, Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, mostrava duas convicções: em primeiro lugar, estava decidido a ser candidato à presidência da República em 2018; por último, não acreditava em uma eventual vitória de Bolsonaro e entendia que o polêmico deputado "não tinha chance".

"Eu acho que ele não vai disputar. Mas, se realmente disputar as eleições, ele não tem chance de vencer. As pessoas no Brasil têm vergonha de votar em alguém tão reacionário", disse Lula, na ocasião, criticando a habitual postura explosiva de Bolsonaro.

Dois meses depois, os números dão um respiro a Bolsonaro e mostram que Lula pode não estar totalmente com a razão.

Uma pesquisa CNA divulgada nesta semana estudou três cenários e em todos eles a disputa de segundo turno é entre o líder petista e o temperamental deputado.

Lula lidera de ponta a ponta e gira em torno de 32% segundo os dados levantados. Já Bolsonaro aparece no segundo lugar nos três cenários, com intenções de voto de até 19%. Marina Silva, da Rede, surge em terceiro com 12%. O PSDB, além de vir atrás destes citados, ainda fica em 5° lugar na perspectiva do candidato ser Aécio Neves, que ficaria atrás de Ciro Gomes, do PDT.