Um dos mais respeitados advogados criminalistas de todo o Brasil, Antonio Carlos de Almeida Castro, popularmente conhecido no meio jurídico, como "Kakay", decidiu tomar uma atitude que visasse a sua vida pessoal, após ter sido contratado como advogado de defesa do empresário Joesley Batista, principal acionista do Grupo J&F e dono de uma das maiores empresas do setor de vendas de carnes processadas em todo o mundo. Vale ressaltar que o empresário goiano Joesley Batista, encontra-se preso por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Edson Fachin.

Publicidade
Publicidade

Tanto Joesley, como seu irmão, Wesley, estão detidos.

Recentemente, os irmãos Batista solicitaram a análise de um habeas corpus dirigido à mais alta Corte brasileira, com um pedido expresso de liberdade. A relatoria do caso ficou a cargo do ministro Gilmar Mendes, envolvido no conteúdo de colaboração premida de Joesley Batista, que mais tarde foi cancelado, por solicitação do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O pedido de habeas corpus impetrado pelas defesas dos irmãos Wesley e Joesley Batista, foi prontamente rejeitado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Governo

'Sem clima' para comemoração no Brasil

O advogado Kakay resolveu curtir e comemorar os seus sessenta anos de idade em um dos palácios mais luxuosos de Portugal. O criminalista alugou o suntuoso Palácio Xabregas, em Lisboa, na noite da última sexta-feira (22). Antonio Carlos de Almeida Castro sempre foi considerado um dos grandes críticos dos acordo de delação premiada, principalmente, em relação à Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que é conduzida em primeira instância pelo juiz federal Sérgio Moro.

Publicidade

Entretanto, o criminalista vê como grande desafio, implementar a defesa dos irmãos Wesley e Joesley Batista, que tiveram seus benefícios cancelados, a partir de um conturbado acordo de delação premiada firmado juntamente à Procuradoria-Geral da República, que estava sob a condução de Rodrigo Janot, antecessor da atual procuradora-geral Raquel Dodge. Os irmãos Batista, precursores do acordo de delação premiada da empresa JBS, considerada a "delação do fim do mundo", chegaram até mesmo, a grampear o presidente da República Michel Temer.

Os delatores acabaram se dando "mal", a partir da determinação de suas prisões, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

O advogado Kakay veio para tentar reverter a prisão dos empresários goianos. Kakay, durante a comemoração de seu aniversário em Portugal, afirmou que só fez a festa em Portugal, porque não pôde fazer em casa, já que o Brasil, segundo ele, teria se tornado um país punitivo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo