Um fato muito "estranho" veio a ocorrer na noite desta terça-feira (05), na capital paulista. Um dos mais próximos amigos do ex-presidente da República [VIDEO] Luiz Inácio Lula da Silva, o advogado e compadre do ex-mandatário, Roberto Teixeira, foi internado às pressas no Hospital Sírio-Libanês, localizado na capital paulista e um dos mais renomados centros hospitalares do país.

De acordo com as investigações, em relação aos desdobramentos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, o advogado e amigo do ex-presidente Lula, Roberto Teixeira, é acusado de cometer crimes relacionados à prática de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, em se tratando de contratos fraudulentos implementados juntamente à empreiteira Odebrecht e a maior estatal brasileira - a Petrobras.

Vale ressaltar que as investigações são conduzidas pelo juiz federal Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba no estado do Paraná, por meio da Operação Lava Jato, que é considerada a maior operação de combate à corrupção na história contemporânea do país.

Internação à véspera de depoimento a Sérgio Moro

O depoimento que o advogado de Lula, Roberto Teixeira, prestaria ao juiz Sérgio Moro, tinha como data agendada, nesta quarta-feira (06), entretanto, a internação às pressas do compadre de Lula, justamente na noite de véspera da data marcada para que Roberto Teixeira fosse ouvido e pudesse esclarecer os crimes a ele imputados, acabou pegando todos de "surpresa". O compadre e advogado do ex-presidente, teria sido internado, em decorrência de problemas cardíacos, em São Paulo.

Os advogados de Roberto Teixeira já teriam se dirigido à Curitiba, sede da força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato, para solicitar o adiamento do interrogatório que seria realizado nesta quarta-feira (06). De acordo com informações prestadas à imprensa, o advogado Roberto Teixeira teria sido internado na unidade de terapia intensiva do Hospital Sírio-Libanês, ao apresentar um quadro de insuficiência coronariana aguda, além de já possuir um histórico de cirurgias realizadas e problemas cardíacos.

O compadre do ex-presidente Lula está envolvido em processos no âmbito da Operação Lava Jato, através de investigações do Ministério Público Federal que aponta que propinas pagas pela empreiteira Odebrecht, teriam alcançado valores estimados de aproximadamente R$ 75 milhões, através de oito contratos firmados junto à Petrobras. Desse valor montante, estariam incluídos cerca de R$ 12,5 milhões, relacionados à aquisição do terreno atribuído para a construção do Instituto Lula e a cobertura vizinha à residência do ex-presidente Lula, na cidade de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo.