Foi preso em sua casa [VIDEO] em Salvador, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, na manhã de sexta feira(08). Os agentes da polícia federal chegaram com mandado de prisão antes da sei horas da manhã.

Recentemente, foi encontrado em Salvador um apartamento que estaria sob a posse do ex-ministro Geddel Vieira Lima que seria, em princípio, uma espécie de ‘arquivo’ onde Geddel deixaria documentos, porém para o espanto dos agentes da polícia federal, ao adentrar o imóvel através de liminar de busca e apreensão expedida encontraram uma verdadeira fortuna.

Razões do mandado de prisão preventiva de Geddel

No apartamento de Salvador mantido por Geddel, havia aproximadamente R$ 51 milhões de reais em dinheiro vivo, supostamente originários de desvio de verba e recebimento de propina para liberação de crédito do FI-FGTS pela Caixa Econômica Federal.

A operação que resultou na localização do ‘bunker’ de Geddel, foi batizada de ‘Operação Cui Bono’.

Ao analisar os fatos, o Juiz da 10ª Vara Federal de Brasília, Vallisney de Souza expediu liminar de prisão preventiva contra o ex-ministro da secretaria do governo do atual presidente Michel Temer, Geddel Vieira Lima.

Em princípio, Geddel será encaminhado para a Superintendência da Polícia Federal em Brasília, e depois para a carceragem do presídio da Papuda da capital brasileira onde tramitam as investigações do acontecido,a chegada de Geddel em Brasília está prevista para o meio da tarde de hoje (08).

O ex-ministro Geddel Vieira Lima está sob acusação de três crimes diferentes, lavagem de dinheiro, pertencer a organização criminosa e corrupção passiva.

Foram expedidos ao todo pela Justiça Federal cinco mandados [VIDEO], sendo que três são de busca e apreensão e dois são de prisão preventiva.

A expedição das liminares e o cumprimento propriamente dos atos estão em comum acordo com a Procuradoria Geral da República no distrito Federal.

Outro mandado de prisão [VIDEO] expedido é para Gustavo Ferraz, Ferraz é diretor-geral da defesa civil em Salvador.

Nomeado em Janeiro de 2017 pelo prefeito Soteropolitano Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), Gustavo Ferraz é assessor direto de Geddel na Bahia, e segundo informações é suspeito de ter ajudado o ex-ministro a conduzir e acondicionar a fortuna em malas encontrada no apartamento em Salvador.

Segundo o Ministério Público Federal, as prisões são medidas imprescindíveis para evitar a destruição de provas e elementos importantes para elucidação dos fatos.