Rodrigo Janot, procurador-geral da República [VIDEO], foi visto e fotografado com o advogado que faz a defesa do delator Joesley Batista, Pierpaolo Bottini, em um bar em Brasília, neste sábado (9). Rodrigo Janot é o atual procurador- geral da República que ganhou notoriedade no país ao denunciar e processar vários políticos e empresários, inclusive o atual presidente da República, Michel Temer.

Acontece que um dia antes (8) ele pediu a prisão dos delatores Ricardo Saud, diretor da J&F, e Joesley Batista, dono da empresa, pois, ao enviar ao Ministério Público Federal novos áudios para que tanto o acordo leniência quanto a delação premiada se consolidasse, por engano acabaram sendo enviados dados que sugerem a obstrução de Justiça por ocultamento de informações relevantes a crimes cometidos pelos dois acusados.

Nessa mesma gravação aferida pelos ministros, o empresário Joesley Batista sugere juntamente com o executivo Ricardo Saud que o ex-procurador Marcelo Miller prestou consultoria no acordo de leniência [VIDEO] da empresa orientando o que fazer para que os delatores não fossem presos.

Neste domingo pela manhã (10), foi decretada a prisão de Joesley Batista e Ricardo Saud pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, justamente pelo fato desses novos áudios que surgiram. A prisão foi concretizada no período da tarde após a apresentação espontânea dos réus na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo.

Durante o encontro entre Pierpaolo Bottini, advogado dos acusados presos no domingo, e Rodrigo Janot, o procurador passou o tempo todo de óculos escuros sentado próximo a uma torre de caixas de cerveja, em uma mesa de canto no bar.

Rodrigo Janot publicou uma nota à imprensa confirmando o encontro com Pierpaolo Bottini, afirmando que os dois tratavam de assuntos alheios ao momento profissional de ambos, classificando como ‘’amenidades’’, justificou que frequenta o bar regularmente e reafirmou que nenhum assunto de natureza profissional foi tratado naquele encontro. O procurador concluiu a nota dizendo que a cordialidade e boa educação demonstram apreço entre dois profissionais da área jurídica.

Da mesma forma ao ser questionado sobre o encontro, o advogado dos réus presos neste domingo, Pierpaolo Bottini ,confirmou que encontrou o procurador-geral da República por acaso e os dois não conversaram nada que fosse relacionado ao processo em andamento que resultou na prisão temporária de seus clientes.