O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB [VIDEO]), falou na última semana de forma escancarada sobre suas pretensões de ser candidato à presidência da República. Segundo sua afirmação, o tucano quer ser o "presidente do povo brasileiro". Sua principal concorrência interna é com seu ex-pupilo, João Doria, mesmo ambos negando constantemente tal rivalidade.

Dentro do PSDB, existe uma ideia predominante de que Alckmin será o candidato tucano à presidência da República na eleição do próximo ano. Porém, João Doria corre por fora com o apoio de alguns integrantes mais jovens do partido e, principalmente, com representantes de outras legendas.

Apesar de sempre negar ser pré-candidato e dizer que seu candidato é Doria, o prefeito marqueteiro vive em constantes viagens Brasil e mundo afora para angariar apoio. Inclusive, em sua última viagem, nessa sexta-feira (1º), em Paris, Doria se declarou como "prefeito global", para justificar tantas ausências em São Paulo, cidade onde deveria estar.

O alto escalão [VIDEO] da política tucana prefere Alckmin como candidato do partido, sendo ele considerado o candidato "establishment" - ou seja, da elite política. Até a ex-presidente Dilma disse preferir ao tucano em comparação a Doria e Bolsonaro.