O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ultimamente tem tido grande destaque nas redes sociais por causa de suas declarações polêmicas, e, às vezes, inusitadas. Desta vez, ele causou alvoroço nas redes sociais ao responder Rodrigo Janot com um poema da literatura brasileira, escrito pelo grande poeta Mário Quintana (1906-1994). O poema escolhido pelo ministro foi o “Poeminho do contra”, que diz que todos que estão em seu caminho passarão, e ele “passarinho”.

A crítica literária afirma que o “Poeminho do contra” pode ser interpretado como uma crítica feita pelo próprio Mário Quintana, que na época passou por perseguição na área acadêmica, uma vez que ele candidatou-se três vezes para Academia Brasileira de Letras, e perdeu. Diante disso, ele resolveu escrever o poema afirmando que todos eles que estavam dificultando seu caminho iriam passar.

Gilmar Mendes nega envolvimento pessoal com família de empresário

Ontem (14), Gilmar Mendes havia informado a Cármen Lúcia, Presidente da Corte, que ele deve julgar os casos que envolvem o nome de Jacob Barata, pois não se considera suspeito.

Rodrigo Janot foi quem fez o pedido para que gilmar mendes fosse afastado do caso do empresário, alegando que o ministro teria envolvimento pessoal com Jacob.

O empresário Jacob foi preso durante operação Ponto Final, na qual estava sendo investigado sob suspeita de participação em esquema de corrupção no Rio de Janeiro. Entretanto, Gilmar deu habeas corpus para ele e também a mais oito alvos da operação.

Diante disso, o procurador-geral da República, Janot, pediu a suspensão de Gilmar que o torna inapto a julgar o caso que envolve Jacob.

De acordo com Rodrigo Janot, Gilmar e sua esposa, a advogada Guiomar Mendes, têm relação pessoal com a família do empresário envolvido. Ele ressaltou o fato de que o ministro e sua esposa foram padrinhos de casamento da filha de Barata Filho, em 2013. Apesar disso, o ministro nega que foi padrinho do casamento de Beatriz Barata, e afirma que eles foram apenas como convidados, pois, segundo ele, o noivo é sobrinho de sua esposa.

Cármen Lúcia irá decidir se o pedido de suspensão seguirá ao plenário a fim de que os ministros decidam se Gilmar ficará impedido de julgar o caso do empresário. Cármen pode aceitar os argumentos de Gilmar e rejeitar o pedido feito por Janot. Ainda não há data para que ela tome a decisão, entretanto, segundo alguns ministros, as chances do pedido prosperar são bem pequenas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo