Jair Bolsonaro, deputado federal eleito pelo PSC do Rio de Janeiro, é pré-candidato à Presidência da República das eleições que ocorrem apenas no ano que vem. Mesmo na expectativa de concorrer a um cargo tão importante, Bolsonaro não alivia ninguém, seja no mundo físico ou nas redes sociais.

O famoso deputado federal, líder da extrema-direita, acabou usando o seu Twitter oficial para atacar um famoso jornalista e tirá-lo do armário. Bolsonaro, mais uma vez, dividiu o público.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Jair Bolsonaro

Para uns, ele fez apenas uma piada, mas para outros, o político teria feito um ataque homofóbico.

Jair Bolsonaro surpreende e tira jornalista Gleen Greenwald do armário, revelando que ele 'queima a rosca'

O deputado federal atacou o jornalista norte-americano Glenn Greenwald.

Ele ficou conhecido pelo caso WikiLeaks, que fez revelações de diversos países.

O jornalista tem um namorado brasileiro e, apesar de ser assumidamente gay, vive uma vida relativamente discreta em relação a sua sexualidade. No entanto, Bolsonaro decidiu expor tudo isso, após se sentir atacado politicamente.

Jornalista chama Bolsonaro de 'cretino fascista' e ele acaba contando que repórter é gay

Gleen Greenwald, segundo informações do site ‘’RD1 Audiência’’, teria usado a internet para chamar Jair Bolsonaro de "cretino fascista’’. Ele não gostou de tamanha ofensa e tratou de usar a internet, revelando que o seu opositor "queima a rosca".

“Bolsonaro is a fascist cretin for reasons having nothing to do with Maia’s praise. This poorly on Maia, not Bolsonaro", escreveu o repórter, antes de ser detonado online.

Na mensagem, Gleen dizia que o deputado federal era fascista, mas por razões que não teria a ver com o elo que ele teria com o hoje presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Para o repórter, esse tipo de situação pegaria mal para Rodrigo Maia e não para o Bolsonaro, que teve problemas com a deputada federal Maria do Rosário.

'Não me importo, seja feliz', diz Bolsonaro a jornalista gay que o chamou de 'cretino fascista’

Em inglês, Bolsonaro mostrou que não leva desaforo para casa. Ele, então, perguntou, em tom de piada polêmica, se o jornalista "queima a rosca". Em seguida, ele disse que não se importava com a resposta e que o profissional da mídia deveria tentar ser feliz. Bolsonaro ainda mandou um abraço para ele.

Nas redes sociais, o comentário teve muita repercussão pelos seguidores dos dois lados. Os do repórter solicitaram que ele fizesse uma denúncia contra o político.