A cada dia que passa, a web se torna um espaço mais usado para as pessoas se relacionarem e até mesmo atacarem uma as outras. Com os famosos e as autoridades não é diferente!

No último dia 27, ao sugerir que o juiz federal Sérgio Moro deveria ser preso, o advogado criminalista Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, levou umas resposta um tanto inesperada por parte do procurador da força-tarefa da Operação Lava Jato Carlos Fernando dos Santos Lima.

O inicio da confusão entre a força-tarefa da Lava Jato e Kakay

O procurador disse, através de suas redes sociais, que Kakay tinha ido longe demais e concluiu mandando o criminalista tomar ‘’vergonha na cara’’. [VIDEO]

Kakay é advogado de réus na Operação Lava Jato e faz oposição a forma do juiz federal Sérgio Moro e, consequentemente, da força-tarefa de dar andamento no processo.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Lava Jato

A confusão recente começou quando Kakay, em entrevista, citou uma suposta negociação ‘’por fora’’ do advogado trabalhista Carlos Zucolotto Júnior com a força-tarefa que integra a Operação Lava Jato.

Não por acaso, o assunto tomou maiores proporções devido ao fato de Zucolotto ser amigo pessoal e padrinho de casamento do juiz Sérgio Moro e, posteriormente, o próprio Moro ter enviado uma nota a um jornal de grande circulação desmentindo o fato de tal negociação ter existido um dia.

Segundo Kakay essa ação pode ser interpretada como obstrução de Justiça, daí a sugestão de prisão do juiz, o que causou tanto alvoroço. Essa informação se originou do ex-defensor da construtora Odebrecht, o advogado Rodrigo Tacla Duran.

Após os comentários do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, Kakay não se conteve e enviou uma tréplica

Kakay, ao tomar conhecimento do recado enviado pelo procurador da Lava Jato Carlos Fernando dos Santos Lima, nas redes sociais, tratou de publicar uma nota justificando que não acusou ninguém, simplesmente comentou as acusações dando ao juiz Sérgio Moro o pressuposto da presunção de inocência.

Não satisfeito, Kakay afirmou que o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima desonra o Ministério Público Federal ao usar as redes sociais para tentar intimidá-lo, ‘’de forma ridícula’’ e que o procurador nem merecia uma tréplica. Porém, o advogado fez questão de fazê-la com a intenção de transformar isso em uma homenagem ao Ministério Público Federal, que tanto orgulha o país e a advocacia elogia, reverencia e respeita.