O atual cenário político no Brasil vive uma fase de grande agitação e incertezas. Dentre essas incertezas, encontra-se o fato de que ainda não se sabe se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] poderá realmente sair candidato e disputar as Eleições em 2018.

O Partido dos Trabalhadores (PT) tem torcido bastante para que Lula [VIDEO] não fique inelegível em 2018, e para que a decisão sobre este caso aconteça com urgência, no máximo até o mês de abril. Apesar do desgaste que o PT vem enfrentando, a meta do partido é prosseguir divulgando o apelo para que Lula se candidate às eleições.

Entretanto, o PT já cogita um possível nome para substituir Lula nas eleições, caso ele se torne inelegível.

O nome cogitado é o de Fernando Haddad, que é ex-prefeito de São Paulo. Porém alguns petistas cogitam o nome de Jaques Wagner (PT-BA). Caso Lula não seja candidato, o nome escolhido pelo partido para representá-lo será nomeado e se baseará no discurso de que “Lula sofreu perseguição política”.

No fim do mês de junho, será realizada uma convenção a fim de realizar a definição da candidatura, e, por este motivo, os líderes do PT estão temendo que o julgamento aconteça perto desta convenção, pois isso iria dificultar a divulgação do nome do novo candidato.

O juiz Sérgio Moro condenou Lula por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, na primeira instância da Justiça Federal. O referido processo diz respeito ao caso do tríplex do Guarujá, e agora terá que ser julgado pelo Tribunal Regional Federal (TRF) de Porto Alegre, em segunda instância.

Após este julgamento, se a sentença for realmente confirmada, o ex-presidente não poderá ser candidato à presidência, e corre o risco de até mesmo ser preso, se não for alterada a pena. De acordo com a defesa de Lula, o julgamento pode acontecer entre março e o início de abril.

Até chegar a data do julgamento, Lula continua mantendo sua visibilidade política, realizando caravanas, e discursando em palanques, a fim de manter o partido em evidência. Atualmente, Lula lidera as intenções de votos, com 30%.

‘Decepcionado’, diz Lula sobre Palloci

Após depoimentos de Antonio Palocci a Sérgio Moro, Lula manifestou sua opinião nesta sexta-feira (07), afirmando que se decepcionou muito com ele, mas garantiu que iria manter sua agenda. O ex-presidente negou as acusações feitas em delação premiada por Palloci, e disse que se abalou com os termos que foram usados por ele durante depoimento, como “pacto de sangue”.