O Partido dos Trabalhadores era a legenda que comandava o país de 2003, com a eleição de Lula, até a metade do segundo mandato em 2016 da ex-presidente da República Dilma Rousseff. Após uma série de escândalos envolvendo os integrantes do partido, a cúpula do PT concordou em usar a popularidade do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva para voltar com muita força em 2018, pois o petista sempre está em primeiro nas pesquisas presidenciais.

A maior implicação que o PT tem no momento é a possível condenação que o ex-presidente Lula pode sofrer antes das Eleições de 2018, até porque, mesmo se o petista recorrer, a Lei da Ficha Limpa o impedirá de se eleger a qualquer cargo público do poder executivo e legislativo.

Porém, o partido assume que não tem preocupação e conta que não tem plano B, pois Lula seria o único, mas não é isso que diz uma reportagem da 'Folha de S. Paulo'.

Lula assume e escolhe plano B

Segundo uma reportagem da 'Folha de S. Paulo', fontes confiáveis muito próximas a Lula contaram que o ex-presidente sabe que será condenado em segunda instância pelo caso do tríplex no Guarujá [VIDEO], no Litoral de São Paulo. O petista é acusado de ter recebido o imóvel em forma de propinas da empreiteira OAS e, neste caso, Lula foi condenado em primeira instância pelo juiz federal responsável pela operação Lava Jato, Sérgio Moro. Agora, ele deve ser julgado por um colegiado, o qual será o Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF4) e, apesar de o partido não assumir que a condenação seja real, as fontes afirmam que o ex-presidente está ciente que não disputará as eleições.

Lula teria assumido aos amigos próximos que será condenado e não poderá disputar as eleições presidenciais de 2018, e o substituo seria o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o qual perdeu as eleições para seguir o seu mandato na prefeitura nas eleições municipais de 2016 para o atual prefeito da cidade, João Doria, do PSDB [VIDEO], que ganhou no primeiro turno pela primeira vez na história da metrópole e também é cotado para disputar a corrida presidencial em 2018. Isso seria uma nova disputa entre os dois, porém, desta vez, em vez de municipal, seria em cenário nacional.

Haddad está se antecipando?

A questão é se o ex-prefeito de São Paulo está se preparando às escondidas para as eleições de 2018, pois os pré-candidatos, assim como o deputado federal Jair Messias Bolsonaro e o prefeito João Doria, viajam todo o país para ganhar popularidade, porém, quem está fazendo isso pelo PT é Lula, que supostamente não será candidato. Por isso Fernando Haddad está viajando junto com o ex-presidente pelo país, pois já aproveita para ganhar popularidade para quando anunciar sua candidatura.