Um conteúdo considerado extremamente bombástico pode vir à tona a partir de uma possível divulgação de conteúdos de novos áudios descobertos do empresário Joesley Batista, dono de uma das maiores empresas na venda de carnes processadas em todo o mundo. Por si só, o conteúdo anteriormente revelado, que acabou culminando em uma denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente da República, Michel Temer, já havia causado grande furor e problemas para o Governo.

Entretanto, com a possibilidade cada vez mais real de que novos conteúdos sejam divulgados, pode-se, no entanto, agravar a situação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot e acabar enfraquecendo a apresentação de uma nova denúncia contra o atual mandatário do país.

Novos áudios periciados envolvem o Supremo

A nova gravação que pode tornar-se pública e acabar aumentando exponencialmente toda a polêmica levantada quanto ao caso do acordo de colaboração premiada firmado entre o empresário Joesley Batista e o chefe do Ministério Público Federal e procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pode culminar na anulação do acordo de delação que fora firmado entre executivos da JBS e a PGR.

De acordo com os procuradores que se debruçam sobre o caso, a gravação de cerca de 4 horas possuiria menções consideradas comprometedoras em relação a quatro ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Os procuradores federais verificaram que uma das menções relacionadas a ministros do Supremo é considerada "gravíssima".

Porém, as outras menções que foram verificadas também são consideradas extremamente embaraçosas.

Algumas fontes relataram à imprensa que os ministros foram citados pelos delatores em diferentes níveis de gravidade. Alguns trechos das gravações são considerados de conteúdo banal, mas há um específico que envolve um dos ministros do Supremo em algo muito comprometedor.

A grande expectativa é que o Supremo Tribunal Federal (STF) torne os áudios públicos já nesta terça-feira (5). Ainda de acordo com os procuradores que periciaram os novos áudios descobertos, o empresário Joesley Batista e o executivo Ricardo Saud estariam, de certa forma, sob "efeito de álcool", quando fizeram as revelações captadas no áudio.

Porém, de acordo com as autoridades que lidam com o caso, não inviabilizariam as gravações. Por terem omitido os novos conteúdos desvendados, os empresários correm sério risco de terem seus acordos de colaboração premiada cancelados perante a Procuradoria-Geral da República.