Durante a eleição para prefeito de São Paulo, a equipe de marketing e o próprio João Doria (PSDB) tentavam demonstrar que ele não era político, mas sim um “gestor”, moderno, cordial e que iria trabalhar sem parar, até criaram um apelido “João Trabalhador”. Mas após nove meses, essa imagem vai desaparecendo e a que de fato aparece, é bem mais diferente. Além de estar sendo visto por muitas pessoas (inclusive boa parte de seus eleitores) como alguém que abandonou a cidade para fazer campanha para presidente pelo país, Doria também está demonstrando ser alguém que não tolera críticas e que ao invés de responder, prefere partir para o embate, atacando e desqualificando os que ousam questioná-lo.

E é a imprensa que vem sentindo isso toda vez que precisa lhe perguntar algo mais firme. Tanto que diversas entidades de imprensa tais como: Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) e ANJ (Associação Nacional de Jornais) decidiram repudiar as repetidas ações do prefeito de São Paulo que parece não saber conviver com as críticas.

O caso mais recente de truculência e tentativa de desqualificar jornalistas por parte de João Doria ocorreu quando o repórter da CBN, Pedro Durán resolveu questioná-lo sobre a limpeza ocorrida na Praça da Sé em julho que teria acabado molhando moradores de rua, justamente após a madrugada mais fria do ano. Ao invés de responder à pergunta, o prefeito partiu para o ataque, indagando em tom ríspido há quando anos Durán era repórter e em tom imperativo disse: “Responda!” .

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
PSDB PT

Em seguida, passou a fazer acusações relacionadas a outra repórter da CBN, Camila Olivo que acompanhou a ação na Sé, afirmando que não respeitava o trabalho dela, pois ela era ligada ao PT no passado e tinha mentido. Desviando o foco da pergunta, prefeito ainda disse que não caberia fazer juízo sobre o trabalho do prefeito regional, mas sim sobre o trabalho da jornalista.

A Rádio CBN informou que Camila nunca trabalhou para o Partido dos Trabalhadores ou teve qualquer tipo de ligação com o partido, e que, na verdade, o prefeito estava se baseando em notícias falsas que foram postadas na internet por páginas na internet , como a do MBL (Movimento Brasil Livre) que defendem João Doria.

Mas essa não foi a única vez que Doria demonstrou descontentamento com jornalistas. Recentemente, em uma entrevista na Rádio Bandeirantes, ele não gostou dos questionamentos sobre suas intermináveis viagens pelo Brasil e demonstrando irritação respondeu: “Qual o problema de viajar? (...) Eu sou diferente, eu sou moderno, não sou antigo, eu uso tecnologia”. Durante a entrevista, o prefeito voltou a mostrar contrariedade e criticou os profissionais que o entrevistavam, mas os jornalistas conseguiram responder a altura aos seus comentários.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo