No mesmo dia em que novas gravações de Joesley Batista ganhavam o cenário político novamente, a notícia do bunker encontrado na casa de Geddel Vieira Lima teve uma repercussão muito maior, sobretudo na mídia internacional. O assunto foi um dos mais comentados nas redes sociais e chegou a ser TrendTopic no Brasil nesta terça-feira (5), dia em que a Polícia Federal encontrou mais de 51 milhões de reais em um apartamento do ex-ministro do governo interino de Michel Temer (PMDB). As duas notícias resvalaram o cenário fragilizado de Brasília, e após o nome do Procurador Geral da República [VIDEO] ser citado nas gravações de Joesley Batista, o judiciário foi abalado pelos únicos empresários que conseguiram obter na justiça a redução total de suas penas com a colaboração com o Ministério Público Federal.

Após Joesley citar que nunca seria preso, e que trabalhava diretamente com os procuradores da Lava-Jato, sendo um deles ex-assessor próximo de Janot, uma nova denúncia apresentada pelo Procurador Geral da República nesta terça-feira (5) deixou grande parte da população indignada. O procurador classificou o Partido dos Trabalhadores como uma 'quadrilha', mas não apresentou nenhuma prova substancial que incriminasse os nomes de oito políticos do partido entregues por Janot, como Lula, Dilma e Gleisi, a presidente nacional do PT. Muitos dizem que a denúncia do procurador serviu apenas como um 'tampão', como elucidou o senador do PT-RJ no plenário, Lindbergh Farias.

O caso mais curioso da denúncia apresentada por Janot é que o procurador disse, em comunicado oficial publicado pela PGR, que a atuação do PT se iniciou em 2002.

Os melhores vídeos do dia

Mas foi justamente nesse ano que as eleições presidenciais aconteceram, sendo Lula eleito presidente do Brasil para o seu primeiro mandato, que teve vigência entre 2003 2007, sendo reeleito. Os parlamentares do PT alegaram que a denúncia foi feita às pressas, e o erro apresentado pela PGR coloca em dúvida tal alegação.

Outra questão discutida amplamente na internet é que a associação do desfecho político apresentado nos últimos meses está sendo atribuída ao PT, que saiu do poder a um ano atrás após Dilma Rousseff sofrer um impeachment. Um exemplo claro disso foi a capa do Jornal o Globo desta terça-feira (6), que trouxe o bunker milionário de Geddel Vieira Lima atribuído à manchete relacionada ao PT, sendo que Geddel é um político do PMDB e era até poucos meses atrás o Ministro da Secretaria de de Governo de Michel Temer.