Condenado em primeira instância a nove anos e seis meses de prisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO] e o PT seguem o curso e mantém a candidatura do petista como primeiro plano. O que ainda é uma incógnita, pois Lula ainda terá que passar pelo crivo do colegiado em segunda instância para ter sua candidatura oficializada ou não. A esperança do Partido dos Trabalhadores é que a decisão sobre o ex-presidente ocorra até o fim de abril.

Lula continua com o discurso como candidato à presidência em 2018 e trabalha para tal. Sua caravana pelo Nordeste arrastou multidões por onde passou, confirmando a popularidade do ex-presidente.

Porém, após o depoimento do ex-ministro Antônio Palocci, em que ele acusa Lula de firmar um "pacto de sangue" com a empreiteira Odebrecht para garantir propina, sua situação na Justiça deve piorar consideravelmente. Nesse caso, a popularidade do petista e a insistente afirmação de sua candidatura não seriam testadas nas urnas.

A Folha de S. Paulo apurou com os advogados de Lula que o trâmite do processo que será julgado pelo Tribunal Regional de Porto Alegre em segunda instância deve ocorrer entre março e abriu, na opinião da defesa do petista.

Caso o ex-presidente não possa disputar a eleição, o nome de Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo, é visto como plano B.