A pergunta que muitos brasileiros se fazem é se com a entrada de Raquel Dodge na posição do ex-procurador-geral, Rodrigo Janot, a Lava Jato vai continuar? O fato é que dois dias antes de Rodrigo Janot sair, dois procuradores já foram informados que não farão parte da equipe de trabalho. Fernando de Oliveira Júnior e Rodrigo Telles de Souza, respectivamente de Tocantins e do Rio Grande do Norte, foram comunicados que já estão fora da equipe.

Cabe lembrar que Fernando Júnior participou das negociações e investigações que levaram a delação de executivos da JBS [VIDEO]e e J&F. Já Rodrigo Telles era um dos procuradores mais ativos que atuou em relação a vários políticos brasileiros.

Raquel Dodge quer montar sua própria equipe e ainda não se sabe quantos mais serão trocados ou se os postos serão extintos.

Com a saída de Rodrigo Janot, o "desmanche" da equipe da Lava-Jato já é notado

Rodrigo Janot tinha uma equipe com dez procuradores, todos trabalhando na equipe da força-tarefa da Operação Lava Jato, equipe que ganhou o maior apoio da população brasileira, já que por conta de suas investigações, foi possível desvendar a participação de vários políticos e empresários no maior esquema de corrupção do país.

Janot e Dodge são de correntes opostas na PGR

Ainda cabe lembrar que da equipe de dez procuradores que trabalhavam na equipe, sete já haviam comunicado falta de interesse de trabalhar com Dodge. Raquel e Janot eram de correntes que se opunham internamente na Procuradoria Geral da República e com pensamentos que muitas vezes divergiam.

Alguns teriam mudado de opinião ao menos no período de transição de comando da PGR, mas, muita coisa ainda está nebulosa diante a mudança de comando.

Raquel Dodge prometeu evitar o desmanche da Lava Jato e aumentar seu escopo

Na época de sua escolha para o cargo, ela prometeu não prejudicar o trabalho da força-tarefa e ainda ampliar o escopo de atuação. A proposta na época da candidatura ao cargo maior do órgão era criar uma secretaria a batizada de 'Função Penal Originária no Supremo Tribunal Federal', que seria comandada por Raquel Branquinho, procuradora regional, e a equipe de procuradores seria comandada por José Alfredo de Paula e Alexandre Espina.

Ainda é importante ressaltar que antes de sair do cargo, foi votado sob a liderança de Janot [VIDEO] um orçamento maior que o previsto para a força-tarefa, o que tranquilizou em parte a população. Agora, assumindo a PGR, não se sabe se o desmanche que se começa a perceber será contido e qual será o rumo da Lava Jato a partir desta segunda-feira, 18, dia da posse efetiva da nova Procuradora Geral da República, Raquel Dodge.