De acordo com a Folha de S. Paulo, Presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, fez um desabafo severo a respeito do procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot. Revoltada, ela convocou o subprocurador-geral, Nicolau Dino, para detonar a atuação de Janot. Ela denominou sua atuação de “desastrada” e disse que Janot tem causado um enorme desconforto. Cármen afirmou, ainda, que toda a corte já estava cansada dos sobressaltos cometidos por Janot.

A presidente do STF falou a Dino que a corte tem rejeitado a maneira como Janot vem atuando. Ela citou o fato de ele ter apresentado o áudio relacionado à delação do empresário Joesley Batista [VIDEO].

Segundo Cármen, a corte repudiou a postura de Janot em ter dito que o diálogo entre os empresários se referia a um suposto envolvimento de um membro do STF em práticas ilícitas.

Antes de encontrar-se com Dino, Cármen Lúcia havia se encontrado com Raquel Dodge, que é sucessora de Janot. Cármen disse à Raquel que era necessário que a atuação das instituições fosse recolocada no que ela denominou de “um patamar republicano”.

Cármen Lúcia vai analisar pedido de afastamento de Gilmar Mendes

Rodrigo Janot fez um pedido de afastamento do ministro Gilmar Mendes [VIDEO] em julgar o caso de Jacob. Janot alega que Gilmar teria um envolvimento pessoal com o empresário, pois, segundo ele, o ministro e sua esposa foram padrinhos de casamento da filha do empresário. Entretanto, Gilmar nega que foi padrinho, afirmando que eles foram apenas como convidados para a cerimônia.

O casamento ocorreu no ano de 2013 e esse tem sido o principal argumento de Janot para que o ministro seja impedido de julgar o caso.

Já o empresário Barata Filho foi preso na operação “Ponto Final” e teve habeas corpus concedido por Gilmar Mendes. Tal situação desencadeou no pedido feito por Janot para que o ministro fique inapto a julgar o caso. Em resposta a Janot, Gilmar Mendes postou um poema de Mário Quintana intitulado “Poeminha do contra”, no qual dizia que os que o perseguem passarão, e ele “passarinho”. A postagem do ministro causou alvoroço nas redes sociais e teve grande repercussão.

Na última quinta-feira (14), Gilmar Mendes disse a Cármen Lúcia que ele se considera apto a julgar o caso de Barata Filho e afirmou que não é suspeito. A presidente do STF ainda não tem data para decidir a respeito do pedido de suspensão. Ela poderá desconsiderar o pedido de Janot ou encaminhar para votação dos ministros do STF.