O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se despediu, nesta quinta-feira (14), dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) após quatro anos no cargo. Em sua última seção da Suprema Corte, ele se despediu com elogios aos ministros e disse que nos momentos mais importantes e cruciais da Operação Lava Jato ele pode contar com a ajuda de todos, que se mantiveram firmes sem se acovardarem com retaliações.

Mas também falou sobre ameaças e ataques que vem sofrendo por causa das denúncias contra políticos do PMDB, incluindo o presidente Michel Temer.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Governo

Janot chegou no intervalo da seção e cumprimentou a todos.

Ele disse já sabia o que teria que enfrentar por conta de suas atitudes tomadas durante todas as denúncias. Na sua retirada do plenário, o procurador garantiu para a imprensa que não guarda mágoas e que fez a sua parte sempre, dando o seu melhor e que realmente acredita que suas ações tenham conseguido amenizar um pouco toda a corrupção que o país está sofrendo.

Rodrigo Janot, agora ex-procurador-geral da República, disse que só quer descansar e relaxar, mas que deixa o cargo tranquilo e com sensação de missão cumprida. Ao ser questionado pelos jornalistas sobre possíveis ataques que ainda poderão acontecer contra ele, Janot garantiu que vai levar sua rotina tranquilamente e sem se preocupar com o que possa acontecer.

Ele disse que já vem sofrendo diversos ataques e ameaças, mas que nunca se acovardou e que não será agora que ele se acovardará. Janot relatou que o mais importante é que ele está saindo de cabeça erguida e que, se alguns políticos optaram por outro caminho, ele não poderia se abster dos fatos, mesmo que isso lhe trouxesse consequências.

O ex-procurador-geral diz que quando assumiu o cargo também sabia que junto com ele viriam riscos e diversas responsabilidades, Se fosse para ser um covarde, ele nem estaria nesse cargo.

Os melhores vídeos do dia

Rodrigo Janot [VIDEO] foi muito aplaudido e cumprimentado por todos. Ao que parece, ele saiu do STF deixando uma imagem positiva aos olhos de todos que com ele trabalharam. Menos é claro dos políticos envolvidos na Lava Jato.

O fato é que ainda tem muita sujeira por trás desses políticos corruptos, mas, para Janot, sua missão termina aqui. Sobretudo, ele sai de consciência limpa e cabeça erguida em relação aos seus quatro anos como procurador-geral [VIDEO]. Para ele, isso é o que deixa e leva de mais importante. De fato, agora ele realmente só quer repousar em seu lar porque uma carreira de procurador-geral trouxe muito estresse e desgaste. Porém, sua missão foi cumprida e isso faz com que tudo tenha valido a pena, apesar de tudo que passou e ainda pode vir a passar.