Rodrigo Maia é o presidente da Câmara Federal e também o presidente da República em exercício no país. Ele ocupou o cargo com a viagem de Michel Temer à China. Com isso, coube a ele, assinar um documento que pretende ser mais uma ajuda ao estado do Rio de Janeiro, a fim de se recuperar de todos os problemas fiscais e das dívidas que tem com a união.

Maia chorou, mas, nas redes sociais, o choro copioso do deputado federal foi questionado por alguns eleitores, que lembraram que Maia fez parte do time que "quebrou" o estado.

Rodrigo Maia vai às lágrimas ao assinar acordo que pretende salvar o Rio de Janeiro

Os problemas da região estão vinculados também à enorme corrupção do governo de Sérgio Cabral, que ficou oito anos no poder e que hoje está atrás das grades.

Cabral apoiou a eleição do governador do Rio, Fernando Pezão, e Maia, quem diria, enquanto chorava, recebeu um abraço do governador. Para muita gente, pintou um arrependimento do político, que hoje tem um dos principais cargos da república.

Crise no Rio de Janeiro atinge empregos, servidores e educação vai para o 'buraco'

O acordo foi assinado no Palácio do Planalto, em Brasília. A ideia do plano para salvar o estado (mais um) é investir mais de R$ 60 bilhões até o ano de 2020. A crise no Rio é notória. Além do desemprego em alta e de empresas abandonando o estado, até a máquina pública está decretando falência.

Servidores das mais diversas áreas não receberam os últimos meses de salário. A maioria, por exemplo, ainda está na expectativa de receber o 13º do ano passado. A Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a Uerj, está fechada.

A greve da faculdade dura desde o ano passado e o ano letivo já foi para o buraco.

Rodrigo Maia explica choro e diz que acordo que pode salvar o Rio de Janeiro foi difícil

Com isso, o Rio de Janeiro também se compromete a reduzir seus gastos e também não fazer aumentos até o ano de 2020. Até mesmo o pagamento das dívidas do estado com a União foram suspensos até 2020.

Após chorar, Rodrigo Maia [VIDEO] fez um discurso no qual disse ter sido tomado por uma "emoção muito grande" ao homologar o acordo. Ele disse que chorou porque foi difícil aprovar o documento e que sabe das dificuldades que o seu estado enfrenta.

Um dos pontos mais importantes do acordo é a privatização da companhia de águas da cidade maravilhosa, a Cedae. A expectativa é que, passando para as mãos de empresas particulares, o governo consiga lidar melhor com o sistema e tenha renda extra.