O escritor, poeta e filósofo de Moçambique, Adamo Tajú, disse certa vez que o “homem que bate na sua mulher, não merece ser tratado de homem e sim lixo sem proveito. Mulher cuida-se amando”, ideia essa que certamente não é compartilhada pelo senador brasileiro Lasier Martins, pertencente ao PSD (Partido Social Democrático) do Rio Grande do Sul.

Acontece que em março deste ano o político Lasier Martins que havia apoiado o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, foi denunciado diretamente pela própria esposa, debaixo da acusação de tê-la surrado violentamente com um cinto, o que acabou lhe causando um ferimento cortante profundo na mão.

A incoerência está no fato de que esse mesmo parlamentar que bate no sexo mais frágil, no caso a mulher com quem convivia há anos fez questão de liderar a elaboração e leitura na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) do Senado, no dia 13 de setembro.

Lasier deu parecer totalmente a favor de medida avaliativa sobre os servidores que prestaram concurso público e tem estabilidade empregatícia, caso esses últimos tenham “mal comportamento".

O que ocorre de fato é que Lasier está empossado como relator do projeto de lei, denominado de PLS 116/2017, cuja autoria é da também senadora Maria do Carmo Alves filiada ao DEM-SE.

Tal projeto de lei tem por objetivo cavar a quebra de estabilidade e demissão dos servidores dos três poderes [VIDEO]existentes em toda a União, estados e também municípios.

Análise da vida pregressa do senador da República, Lasier Martins

De acordo com informações do portal “Congresso em Foco”, Lasier além de ser acusado em determinada ocasião de ser espancador de mulher, colidindo com a “Lei Maria da Penha”, foi um dos primeiros políticos que tomaram posição a favor do governo de Michel Temer [VIDEO] do PMDB-SP, o qual está atolado até o pescoço em uma série de notícias quentes calcadas em fraude e corrupção.

Lasier não só votou contra Dilma, mas também apoiou a chamada “PEC da Morte” Ou PEC 55; sendo que, o escopo dessa é a proibição total de aporte financeiro nas áreas da saúde e educação ao longo dos próximos vinte anos.

Expulsão de Lasier Martins

Ainda de acordo com as notícias veiculadas pelo portal em questão, o PDT falou que expulsaria o senador depois que ele votou favoravelmente a PEC da Morte; todavia, no sentido de não ser humilhado, Martins saiu do seu partido político e buscou guarida no PSD.

Os críticos políticos que oscilam em opiniões entre a direita e a esquerda, muitas vezes indagam que moral tem Lasier Martins e a senadora Maria do Carmo Alves para analisar e consequentemente demitir os servidores públicos aprovados em concursos oficiais.

Lasier, o acusado de surrar a própria esposa e Maria do Carmo, uma das parlamentares que mais faltaram nas sessões de serviço do Senado.

Que o próprio leitor dê a sua opinião, escrevendo no espaço abaixo e compartilhando a mesma para que outros fiquem cientes de tanto abuso de autoridade que vem acontecendo no Brasil.