O governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, surpreendeu a todos os presentes em um evento na manhã desde último sábado, 16 de setembro. Um dos pré candidatados à presidência da República, que corre um sério risco de "perder" a candidatura para seu colega de partido, o prefeito de São Paulo, João Doria, tentou tirar a imagem de "passividade" retrucando acusações do deputado Major Olímpio do PDT.

Enquanto Alckmin estava promovendo a entrega de 197 novas viaturas para a cidade de São Carlos, interior de São Paulo, o deputado Major Olímpio apareceu para "estremecer" o evento.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Eleições

Geraldo Alckmin estava ao lado do secretário de Segurança Mágino Barbosa Filho e logo foi interrompido pelo deputado estadual. Major Olímpio falou abertamente através de um microfone e utilizando-se de equipamentos de som.

O deputado protestava para cobrar reajustes salariais para os policiais. Ao notar que estava sendo criticado, o tucano Alckmin revidou aos gritos [VIDEO], surpreendendo até mesmo seus colegas que estavam ao seu lado. O tucano rebateu, querendo dizer que Major Olímpio não deve falar nada a respeito disso, pois ele ganharia um salário "absurdo" como deputado.

Aos gritos, Alckmin disse: "Alguém aqui ganha R$ 50 000 mil do povo de São Paulo? É ele (deputado Olímpio) que está gritando, ele ganha R$ 50 000 mil. Ele deveria ter vergonha, vergonha de vir aqui. Tenha vergonha, deputado! Não pode olhar no rosto dos brasileiros de São Paulo. Vergonha!".

Um vídeo do momento inusitado foi disponibilizado nas redes sociais. Alckmin começa dizendo que os salários de servidores públicos como os civis e militares será reajustado.

Logo depois, o tom de voz muda, e o governador fala aos berros e aponta o dedo para Major Olímpio. O microfone do tucano chega a "rachar" com a demasiada voz alta. O governador de São Paulo já foi apelidado de "picolé de chuchu" devido a sua passividade.

Rixa com o prefeito de São Paulo

Ao que tudo indica, Geraldo Alckmin quer se candidatar à presidência da República nas Eleições de 2018, porém ele tem um forte concorrente dentro de seu partido. Mesmo sendo o padrinho de João Doria, Alckmin estaria em uma "disputa" para que o partido decida quem deverá se candidatar.

Geraldo Alckmin declarou no início desde mês que quer ser o presidente [VIDEO] dessa nação, para lutar ao lado do povo "sacrificado" e "injustiçado" e também ao lado dos empresários que têm como objetivo gerar empregos para a população. Com isso, abre-se uma disputa interna com Doria.