O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi afastado do seu cargo após a Primeira Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) ter aceitado o pedido da Procuradoria Geral da República, feito pelo então procurador Rodrigo Janot. Desde setembro, o tucano estava proibido de sair de casa à noite e teve que entregar o passaporte preso.

Porém, nesta terça-feira (17), o plenário do Senado fez uma votação para decidir se Aécio reassumiria ou não cargo. Com 44 votos contra e 22 votos a favor da decisão da Primeira Turma do STF, o tucano voltou ao cargo nesta quarta-feira (18).

Revelação de Aécio

Após ter sido flagrado em uma conversa de telefone com o empresário Joesley Batista, dono do Grupo J&F, em que reforçava o pedido de sua irmã Andréa Neves de uma suposta propina de R$ 2 milhões, o senador afirmou que foi vítima de uma "ardilosa armadilha".

Ele disse que a armação foi feita por empresários que querem enriquecer ainda mais com o dinheiro público, com a corroboração de homens do estado.

Na gravação, o Aécio Neves afirmou que "mataria" quem delatasse, mas em uma carta aos senadores, antes da votação, o senador se desculpa pelo vocabulário usado na conversa, mesmo que ela seja privada, e também ressalta que a gravação foi completamente clandestina, já que não havia nenhuma denúncia contra o tucano e também foi feita por um réu confesso, que só queria se livrar de sua pena.

Um dia antes da votação, o senador Aécio Neves se juntou ao presidente da República, Michel Temer, para conseguir votos ao seu favor do PMDB. Na noite anterior a votação, foi marcada por um jantar, já que Temer também pediu a ajuda do PSDB para ajudá-lo a se livrar de sua denúncia [VIDEO].

O apoio do PMDB foi fundamental para o Aécio Neves conseguir voltar ao cargo, já que dos 22 senadores que o partido tem na casa, 20 compareceram para votar, e apenas dois votaram contra o Aécio, contabilizando, então, 18 votos do PMDB. Já o PSDB tem 10 senadores na Casa e todos compareceram para votar, votaram a favor de Aécio.

Juntando os votos de PMDB e PSDB, contabiliza-se 28 dos 44 votos que Aécio precisou para se livrar de seu afastamento. Outro dado que pode ser tirado do resultado é que entre os senadores que votaram a favor do Aécio, 17 deles estão sendo investigados.

Nota do Aécio após votação

Após o resultado, o tucano emitiu uma nota parabenizando o Senado Federal por ter cumprido o processo legal [VIDEO] e também respeitado os eleitores de Minas Gerais que o elegeram como senador federal. Agora, Aécio Neves não será mais proibido de sair de casa à noite e terá seu passaporte devolvido pela Justiça.