Atendendo à recomendação de repouso dos médicos do Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB), o presidente Michel Temer começou sua agenda nesta quinta-feira (26), ao meio dia, atendendo ministros como o Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Educação, Mendonça Filho e o Chefe da secretaria de Governo Antônio Imbassahy, conforme site www.2planalto.

Primeiros socorros foram no Departamento Médico do Planalto

No hospital, na quarta-feira (25), Michel Temer foi submetido à sondagem vesical de alívio, após ter passado mal e receber primeiros socorros no Departamento Médico do Palácio do Planalto. Temer teve alta do HMAB nesta mesma data, seguindo para sua residência oficial no Palácio do Jaburu, em companhia de sua esposa Marcela Temer.

Obstrução urológica leva Michel Temer a Hospital Militar

Ainda na quarta-feira, o Palácio do Planalto divulgou nota através da sua Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) informando o ocorrido e que o médico constatou uma obstrução urológica, encaminhando-o ao Hospital do Exército para realização de exames e proceder ao tratamento.

Sírio Libanês acompanha saúde do presidente com equipe de Brasília

Médico do presidente, o cardiologista Roberto Kalil Filho, do hospital Sírio Libanês em São Paulo, acompanhou o estado de saúde de Michel Temer, junto à equipe do Hospital Militar.

Com 77 anos de idade, completados em setembro, o peemedebista, que fez um check-up recentemente em São Paulo, entrou no hospital, por volta das 12h50. Informações davam conta de que não havia indicação de cirurgia para o presidente.

Ao passar mal o peemedebista aguardava votação de denúncia na Câmara

No momento em que passou mal o presidente aguardava o início da votação, na Câmara dos Deputados, do relatório do deputado federal, Bonifácio de Andrada (PSDB/MG), propondo o arquivamento da segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República, acusando-o de ter cometido os crimes de organização criminosa e obstrução à Justiça. Deputados de oposição ao governo Temer e alguns aliados descontentes tentaram obstruir a sessão para causar desgaste à situação.

Parlamentares congelam denúncia até o final do mandato

A constatação é a de que, embora com número de votos menor do que o esperado, entre 260 e 270, Temer, que precisará travar embate para aprovar a Reforma da Previdência, venceu duas batalhas no mesmo dia. Por 251 Votos contra 233 a favor e 2 abstenções, os parlamentares congelaram a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) até o final de seu mandato.

STF não poderá investigar o presidente Temer

Michel Temer venceu também, esse round sobre sua saúde, podendo sentir-se aliviado [VIDEO], pois dessa forma, o Supremo Tribunal Federal (STF) não poderá prosseguir com as investigações.

Vale lembrar, que no mesmo processo, a PGR acusa também, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha e o secretário-geral da República, Moreira Franco por organização criminosa.