O prefeito da cidade de São Paulo, João Doria, e futuro candidato à presidência da República nas próximas eleições, mostrou descontentamento ao analisar o cenário político de 2018. Doria busca estratégias para minimizar as chances de vitória do ex-presidente e réu em processos, Luiz Inácio Lula da Silva [VIDEO], e do deputado federal Jair Bolsonaro na presidência do Brasil. Segundo pesquisas recentes, Lula e Bolsonaro estão liderando as intenções de voto.

Durante viagem ao Rio de Janeiro, o prefeito de São Paulo resolveu falar sobre opções que ele considerou "extremistas", ou seja, esquerda com Lula ou direta com Bolsonaro.

O objetivo de Doria é conseguir apoio de partidos para fortalecer o centro. Ele mandou um recado, falando que se não se unirem adequadamente, quem ganhará a presidência do Brasil será um "extremista". O prefeito também utilizou as palavras "liderança", "humildade" e "discernimento" para caracterizar as necessidades que precisam ser entendidas de um futuro presidente.

Quando questionado sobre Bolsonaro e Lula no auge das pesquisas, Doria disse que é preciso "acordar" enquanto ainda é tempo e buscar soluções ágeis para evitar que um dos dois subam ao poder. Para o prefeito, o Brasil ter que escolher entre dois "extremistas" seria um momento de grande tensão.

Ascensão de Jair Bolsonaro

O deputado Jair Bolsonaro, em recente pesquisa, ficou em segundo lugar nas intenções de voto, perdendo apenas para o ex-presidente Lula.

No cenário, foram colocados nomes como Marina Silva, Geraldo Alckmin, Luciano Huck e João Doria. Dentre estes citados, Doria aparece em sexto lugar, na frente de Ciro Gomes, Álvaro Dias, Ronaldo Caiado e Henrique Meirelles.

Doria contra o PT

O prefeito de São Paulo mantém um duro discurso contra o ex-presidente Lula, devido aos vários processos [VIDEO]que o petista responde na Justiça. Doria já chegou a declarar que Lula seria uma pessoa "sem vergonha" e "safado". O tucano também ressaltou, em um indireta para Lula, que tudo o que ele tem é fruto de seu trabalho. Doria deu exemplos como carros e helicóptero, dizendo que antes de se tornar prefeito ele já era uma pessoa muito rica. Em um recado, Doria mandou Lula ir "trabalhar".

Segurança pública

Questionado sobre temas como segurança pública, Doria disse que melhoraria o patrulhamento de fronteiras, porém não trataria de forma "extremista". Ao que tudo indica, Doria tem opiniões contrárias a Bolsonaro.