As Eleições presidenciais de 2018 já contam com alguns pré-candidatos quase confirmados como pretendentes ao maior cargo do poder executivo do país (presidência da República).

Os principais possíveis candidatos e melhor colocados nas pesquisas presidenciais são: o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, seguido do deputado federal, Jair Messias Bolsonaro, e os mais próximos de ameaçar os dois primeiros são a ex-senadora Marina Silva, o prefeito de São Paulo João Doria e o integrante do PDT Ciro Gomes.

Um candidato pode desistir?

O que pode acontecer não é bem uma desistência do candidato, mas sim uma falta de interesse dos partidos apoiarem sua pré-candidatura à presidência da República, este é o atual prefeito da cidade de São Paulo João Doria, pois o mesmo já demonstrou interesse em participar da corrida presidencial, sendo apontado por muitos como um traidor de seu padrinho político, o governador de São Paulo [VIDEO] Geraldo Alckmin.

Doria é integrante do PSDB e foi incentivado por Geraldo Alckmin para se candidatar à prefeitura de São Paulo, e após cometer um ato histórico de ter ganhado as eleições no primeiro turno contra o atual prefeito Fernando Haddad, o empresário se empolgou e começou a viajar o país para fazer uma pré-campanha política, pensando em uma possível candidatura.

O empresário João Doria sempre afirmou que não deseja trair o seu padrinho político, por isso que chegou a cogitar mudar de partido para se candidatar à presidência, pois na visão do prefeito a traição existiria se o mesmo disputasse a candidatura dentro do partido com Alckmin, com isso diversos partidos demonstraram interesse pelo prefeito, mas após a última pesquisa do Datafolha muita coisa mudou.

Pesquisa do Datafolha

O Instituto Datafolha fez um levantamento [VIDEO] e apontou que 45% dos paulistanos preferem Geraldo Alckmin candidato pelo PSDB, sendo que somente 31% apontam João Doria como o ideal, e isso demonstra uma grande reviravolta, já que o prefeito era o preferido do eleitorado.

Segundo o 'Jornal do Brasil', Doria teria desistido de gerir a cidade de São Paulo e deixado isso para o seus assessores, pois o mesmo estaria mais focado em uma pré-campanha para se tornar presidente, e este fato teria "desencantado" a população paulistana com o governo de Doria, que obtinha de 44% em fevereiro deste ano, e agora conta somente com 32%, com a rejeição subindo de 13% para 26%.

Com essa grande queda de Doria, o partido DEM (Democratas) já afirmou que agora prefere apoiar uma possível candidatura do apresentador de TV Luciano Huck e o PMDB ainda não deu novos grandes sinais de apoio ao prefeito de São Paulo, com isso Doria pode desistir de sua candidatura e tentar a reeleição à prefeitura em 2020.