Demorou um pouco mais de uma hora a leitura do parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB/MG), propondo o congelamento da segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), acusando o presidente da República, Michel Temer, dos crimes de formação de quadrilha e obstrução de Justiça. No mesmo processo, a PGR acusa também, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha e o secretário-geral da Presidência, Moreira Franco.

Leitura do relatório autoriza votação do texto pelos parlamentares

A leitura do relatório no plenário da Câmara dos Deputados pela primeira secretária da Mesa Diretora dessa Casa, deputada Mariana Carvalho (PSDB/RO), cumpre a exigência [VIDEO] do regimento interno da Câmara para que os parlamentares possam votar este mesmo documento nesta quarta-feira (25).

Este documento foi favorável a Temer por 39 a 26 semana passada na Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ).

Casa Civil recebe notificação da Câmara sobre efetivação da leitura

Ainda nesta terça-feira o primeiro secretário da Câmara, Fernando Giacobo (PR/PR) entregou ao subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil, Gustavo do Vale Rocha, a notificação ao presidente Michel Temer sobre a efetivação desse ato de leitura.

São necessários 172 votos para Temer arquivar mais esta denúncia

Para que este processo só seja encaminhado no final do seu mandato em 2018, o presidente Michel Temer precisa obter no mínimo 172 votos dos total de 513 deputados, acatando esse parecer. Já para que a Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal (STF), continuar investigando o peemedebista, serão necessárias 342 indicações contrárias à propositura de Bonifácio.

Em junho o peemedebista saiu vitorioso do processo semelhante

No mês de junho, com 263 votos favoráveis e 227 contrários, a Câmara dos Deputados impediu o STF, de se debruçar sobre a denúncia da PGR, atribuindo a Temer, o crime de corrupção passiva. Segundo a PGR, entre outras atitudes, Temer, Padilha e Franco teriam causado prejuízos aos cofres públicos na ordem de R$ 587 milhões.

Aliados do governo pretendem alcançar cerca de 270 votos

A base aliada do governo espera atingir entre 260 e 270 votos favoráveis ao relatório de Bonifácio Andrada. Para isso, Michel Temer exonerou 8 ministros com cargos de deputados federais para reforçar a votação. Porém, o Presidente sabe do descontentamento de alguns deputados que ainda não tiveram atendidas as suas demandas das emendas parlamentares, o que pode apertar um pouco mais a sua segunda vitória.